Primeiros quatro álbuns dos Echo & The Bunnymen vão ser reeditados em vinil

Cada um deles estará disponível em vinil preto de 180g.

- Publicidade -

Crocodiles, Heaven Up Here, Porcupine e Ocean Rain. Sim, são os primeiros álbuns dos Echo & The Bunnymen e preparam-se para ser reeditados em vinil no dia 22 de outubro.

Os Echo & The Bunnymen nasceram em Liverpool em 1978 com Ian McCulloch nos vocais e guitarra rítmica, Will Sergeant na guitarra solo e Les Pattinson no baixo. Mais tarde, a eles se juntou Pete De Freitas na bateria e o resto, como se costuma dizer, é história.

O primeiro lançamento da banda foi o single “Pictures on My Wall”, em que o lado-B era ocupado por “Read It in Books”, através da Zoo Records, em 1979. “Pictures on My Wall” seria mais tarde incluído no álbum de estreia, Crocodiles, editado em 1980. O álbum atingiu o Top 20, com muitos críticos a incluírem este álbum nas suas listas de “os melhores álbuns de estreia de sempre”.

Em 1981, os Bunnymen lançaram o EP Shine So Hard, gravado ao vivo no Pavilion Gardens, Buxton, antes de lançar o seu segundo álbum de estúdio, Heaven Up Here, que viria a tornar-se o primeiro álbum da banda no Top 10 do Reino Unido. Considerado um álbum um pouco mais sombrio, Heaven Up Here foi produzido por Hugh Jones e foi bem recebido pela crítica e pelos fãs, apresentando temas como “A Promise”, “Over the Wall” e “Show of Strength”.

O estatuto de banda de culto depressa se transformou em sucesso mainstream em 1983, com o lançamento de seu terceiro álbum, Porcupine, produzido por Ian Broudie. Porcupine alcançou melhores performances nas tabelas de vendas que os seus antecessores, com “The Cutter” alcançando a 8ª posição nas tabelas de singles e “Porcupine” a ter atingido a 2ª posição na tabela de vendas de álbuns antes de ser certificado Ouro.

1984 trouxe o quarto álbum de estúdio, Ocean Rain, considerado por muitos como a grande obra da banda. Gravado em Liverpool e Paris, a banda usou uma orquestra de 35 instrumentos, com o premiado compositor Adam Peters a tocar cordas. A icónica foto da capa foi tirada nas impressionantes Cavernas Carnglaze, na Cornualha, pelo fotógrafo Brian Griffin, que também assinou as capas dos três álbuns anteriores. Ocean Rain continuou o uso de cordas pela banda, criando uma aura escura e etérea. Três singles, que o tempo transformou em clássicos, foram retirados do álbum – “Silver”, “Seven Seas” e o grande hino “The Killing Moon”, que continua a atrair gerações até hoje.

Cada um dos álbuns estará disponível em vinil preto de 180g. A pré-reserva já está disponível.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Echo & The Bunnymen em Lisboa – O pós-punk ainda ecoa nas nossas cabeças

Os britânicos Echo & The Bunnymen atuaram perante uma multidão de indefetíveis que encheu o recinto do Lisboa ao...
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Shawn Mendes regressa a Portugal em 2022

King Princess junta-se ao músico para assegurar a primeira parte do espetáculo.

Desconfinamento. Bares e discotecas voltam a funcionar a 1 de outubro e acabam os limites de lotação

O certificado digital será necessário para aceder a grandes eventos e a máscara continua a ser obrigatória em várias situações. Mas há exceções.

O Jumanji está a caminho da Playstation 5

Jumanji: The Video Game vai ser relançado com uma edição adaptada à nova consola da Sony.