fbpx

Primeiras impressões da PlayStation Classic – Um apelo à nostalgia

Anunciada no passado mês de setembro, a “nova” PlayStation Classic é mais do que uma consola, é um presente para os saudosistas.

Com 20 jogos pré-carregados, onde se destacam títulos Final Fantasy VII, TEKKEN 3 ou Metal Gear Solid, é 45% mais pequena que a original e traz uma entrada HDMI, fazendo com que se possa levar sem quaisquer problemas numa mochila para casa de um amigo para que ambos possam matar saudades do passado.

O Echo Boomer teve oportunidade de ir experimentar a PlayStation Classic na passada segunda-feira no Museu Nostalgica dos Videojogos e traz-vos agora as primeiras impressões.

Logo à partida, olhamos para a consola e percebemos o quão pequena é. O seu tamanho é realmente muito reduzido comparativamente à PlayStation original.

Depois os comandos, são super leves, tão leves que até se torna estranho tê-los nas mãos nas primeiras utilizações, principalmente para quem está habituado aos comandos da PS4.

Porém, é quando ligamos a consola e ouvimos aquele som tão clássico que somos transportados para a pré-adolescência. Na TV surgem então os 20 jogos, sendo que basta andar para o lado para selecionar aqueles que queremos experimentar. E fiquem desde já descansados: a consola tem um cartão de memória virtual para que os saves possam ser guardados.

Menos bom é a impossibilidade de termos que ir ao botão de reset sempre que queremos mudar de jogo, algo que para muitos jogadores se poderá tornar imprático.

Os jogos, selecionados entre os anos 1995 e 2000, são apresentados no formato original, ou seja, um 4:3 sem mudanças gráficas ou remasterizações. Confesso que não encontrei nenhuma opção que permitisse mudar o formato do ecrã, mas penso que também não é o que se pretende; afinal, há que reviver a experiência a sério. Tão a sério que experimentar alguns dos jogos hoje em dia é uma autêntica viagem no tempo.

A nostalgia por vezes é tramada e as expectativas de pegar nos nossos jogos favoritos da PS1, numa altura em que estamos habituados a analógicos e sistemas de controlo afinados até ao último pormenor, pode ser perigosa.

Tinha muita curiosidade em experimentar Battle Arena Toshinden, um dos jogos que comprei para a velhinha PS1. Mas fiquei altamente surpreso quando constatei que era difícil perceber quando é que acertava no adversário. O mesmo se aplica aos visuais que mantiveram um aspeto crude e bem diferente do que estava na minha memória. Em suma: não envelheceu nada bem.

O mesmo se pode dizer de Twisted Metal, outro jogo que me roubou imensas horas que agora senti que não o conseguia jogar. O jogo é bem mais claustrofóbico do que me lembrava e os controlos são agora bem mais difíceis.

Apesar de parecer negativo, isto são bons sinais. Sinais de que a experiência original está preservada e que não temos a sensação de estar a jogar algo emulado.

Mas nem tudo é mau, muito graças à restante seleção de jogos que incluem pérolas como TEKKEN 3 que, neste caso, já envelheceu muito bem, que vai continuar certamente continuar a cativar muitos jogadores e que deverá ser um dos títulos mais jogados nesta PlayStation Classic.

O mesmo se aplica a Final Fantasy VII que aparentemente está igual ao original, assim como Metal Gear Solid, Oddworld: Abe’s Oddysee e Rayman, que resistiram facilmente ao teste do tempo, e, claro, Grand Theft Auto, para demonstrar o quão diferente GTA era no passado em relação ao que lhe conhecemos hoje em dia.

A restante seleção e a nossa ligação aos jogos é subjetiva, mas jogos como Cool Boarders 2, Mr Driller, Super Puzzle Fighter II Turbo, Intelligent Qube e Wild Arms, só para citar alguns, parece que existem aqui só para encher o pacote dos 20 jogos, especialmente quando a PlayStation 1 tinha uma line-up de exclusivos e multiplataformas bem mais apetecível.

Ficámos também a saber que os 20 jogos anunciados pela PlayStation são mesmo os únicos possíveis nesta versão Classic da PS1. Não será possível descarregar novos jogos ou substituir por outros, até porque esta consola não tem ligação à Internet.

No final de tudo, creio que esta PlayStation Classic valerá muito por uma mão cheia de títulos que provavelmente ficariam bem mais caros se fossem comprados fisicamente para uma PlayStation 1 original em pleno 2018. Por 99,99€ convenceu-nos. É uma experiência autêntica e uma viagem no tempo fantástica para fazer este Natal.

A PlayStation Classic chega às lojas no dia 3 de dezembro e já se pode fazer pré-reserva nas diferentes superfícies comerciais nacionais.


- Publicidade -

Afiliados

Sigam-nos

10,780FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
628SeguidoresSeguir

Media Partner

Relacionados

Antevisão – The Last of Us Part II

Já conhecem os vídeos, mas como é jogar The Last of Us Part II?

Haunted PS1 Demo Disc é uma viagem nostálgica a jogos de horror que nunca existiram

Para os fãs de jogos da PlayStation 1, jogos de terror e de coisas estranhas e nostálgicas chega Haunted PS1 Demo Disc, uma coletânea de jogos inspirados na geração dos 32-bit.

The Last of Us: Part II é “convertido” para a PS1 com Dreams

Dreams só chega oficialmente, na sua versão completa, no dia 14 de fevereiro à PlayStation 4, mas nada impede os mais criativos de avançarem nas obras interativas, graças ao Early Access do jogo.

Já podes jogar Xbox One no teu smartphone

A Xbox anunciou que parte do sue programa de cloud gaming já está disponível para os jogadores Xbox em todo o mundo.
- Publicidade -

Mais Recentes

Um spinoff de The Boys pode chegar muito em breve

Segundo a Variety, está agora a ser dada prioridade a este projeto devido ao sucesso da segunda temporada da já popular série da Amazon.

Análise – Urbanista London

O modelo London, da Urbanista, é uma escolha mais económica dentro do mercado de earbuds True Wireless equipados com Noise Cancelling (cancelamento de ruído).