Surgiu em Portugal a primeira rede de estações de troca de baterias para bicicletas elétricas

- Publicidade -

Já existem três estações em Lisboa dedicadas ao efeito.

A Galp aliou-se ao operador de manutenção de frotas de micromobilidade Boost Logistics e à startup de tecnologia verde Swobbee para lançar em Portugal a primeira rede de estações de troca de baterias (swapping stations) para bicicletas elétricas. O processo de instalação das primeiras três estações em Lisboa ficou completo esta segunda-feira, com a inauguração de um novo espaço na Avenida Brasília.

Desenvolvido num modelo de charging as a service, este projeto pioneiro em Portugal está ainda em fase piloto, com os objetivos de testar a tecnologia, avaliar a experiência de utilização e quantificar os custos de operação e as poupanças obtidas. Numa primeira fase, estas estações serão de uso exclusivo pela Boost Logistics, mas futuramente a solução poderá vir a ser alargada ao segmento B2C.

Além da estação inaugurada esta segunda-feira, os restantes espaços de substituição de baterias situam-se junta a áreas de serviço Galp na Avenida da Índia e na Avenida Eng.º Duarte Pacheco. Todas as estações estão disponíveis 24 horas por dia. No caso do espaço da Avenida Brasília, inaugurado esta segunda-feira, a instalação da estação de carregamento contou com o apoio do Porto de Lisboa (APDL), que cedeu o espaço ocupado pelo equipamento.

As estações de troca de baterias são modulares, contendo cinco gavetas que acomodam um total de 20 baterias e que permitem substituir em poucos segundos as baterias descarregadas dos veículos de micromobilidade, neste caso bicicletas elétricas. A utilização do equipamento é 100% digital e realizada através de uma app no smartphone.

Este é, assim, um serviço que torna a logística de carregamento e as operações de gestão da frota de veículos elétricos mais eficientes e sustentáveis, com uma rede de carregamentos descentralizada, mais acessível e mais perto das frotas de micromobilidade. Esta proximidade permite ainda a introdução de novos modos de transporte que contribuem para reduzir a pegada carbónica da operação. Exemplo disso é a introdução de uma cargo bike pela operadora de manutenção (Boost Logistics) na zona de Belém, tirando partido de duas estações estrategicamente posicionadas, para assegurar a operação na zona ribeirinha.

Nos primeiros dois meses de operação deste projeto piloto em Portugal, foram realizadas já mais de 3.500 trocas de baterias, o que corresponde a mais de 2,7 MWh de energia carregada.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes