Prática de swing na relação: melhoria emocional e sexual ou sentimento contraditório?

- Publicidade - trk
- Publicidade -

O swing é algo envolto em algum mistério, e talvez por isso, possam surgir algumas dúvidas em relação à sua prática. No geral, o swing define-se como uma prática sexual em que um casal procura uma pessoa ou outro casal para participar em relações íntimas.

Essa prática normalmente decorre com bastante privacidade e consentimento dos envolvidos, seguindo algumas regras. De acordo com a preferência do casal, pode envolver a troca de casais, o sexo em grupo ou a observação.

O swing pode ser ‘soft’, quando se limita apenas a carícias, ou ‘full’, ao incluir atos sexuais.

A opinião de quem já experimentou

Para avaliar a perceção e a vivência desta prática, a Flame Love Shop de Portugal realizou uma pesquisa em que participaram homens e mulheres entre os 21 e os 65 anos, onde mais de 70% dos casais considera que a relação ficou mais feliz e satisfatória em termos emocionais e sexuais desde que se iniciaram no swing. Apenas 7,6% evidenciaram um sentimento contrário relativamente à experiência.

Ana Durão, investigadora da Universidade Portucalense, no Porto, concluiu recentemente um estudo sobre o tema, onde pretendia não só compreender o estilo de vida swinger, mas também avaliar até que ponto os casais envolvidos neste tipo de relação aberta são ou não mais felizes do que os que pautam o relacionamento pela monogamia normativa, estudo esse que resultou numa reportagem do JN.

As conclusões foram claras: os casais swingers revelam índices mais elevados de felicidade na relação, de satisfação sexual, bem com maior intimidade física e psicológica do que os casais com exclusividade afetiva e sexual.

“A experiência, que poderia ser altamente desestabilizadora, parece ter efeitos muito positivos na relação”, diz Paulo Jesus, orientador do mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde na Portucalense.

Mas, independentemente destes resultados, não se conclui que o swing seja a solução para manter uma relação feliz ou curar um casamento insatisfatório. “O mais importante é a comunicação, incluindo sobre a relação e o desejo”, diz o professor de psicologia.

Como ter acesso a este mundo?

O swing e as festas liberais são uma excelente opção para apimentar a vida a dois. Porém, o que muitos iniciantes não sabem é que o simples facto de frequentar uma festa de swing não implica participar nos convívios. O ponto fulcral do swing é o respeito pelo espaço, o corpo e a individualidade.

Segundo o JN, existem atualmente 25 clubes ativos em Portugal e a maior comunidade virtual de swingers tem cerca de 10.000 membros ativos e quase o dobro de candidatos em processo de validação. Embora continue a ser assumido por uma minoria face à monogamia dominante, o swing apresenta-se hoje como um universo cada vez mais vasto e heterogéneo, abrangendo um leque diversificado de práticas, com códigos e regras próprias.

Mas como se passa de um lado para o outro?

A internet é, quase sempre, a porta de entrada. Existem sites, fóruns e grupos onde os swingers podem dar a conhecer-se e encontrar pessoas com interesses idênticos.

A maior comunidade online swinger em Portugal é o SwPt, que conta com cerca de cinco mil casais ativos: a grande maioria (92%) são casais heterossexuais, mas também casais do mesmo sexo, singles, transexuais e crossdressers (ou travestis), o que significa que esta rede social agrega quase 10.000 pessoas.

Alguns conselhos para quem quer visitar uma casa de swing:

  1. A comunicação é essencial – Falem com o vosso parceiro e avancem apenas se os dois concordarem e se sentirem seguros em dar esse passo;
  2. Falem sobre as vossas expectativas e criem regras para evitar surpresas desagradáveis – Definam regras e limites claros;
  3. Avancem apenas quando se sentirem preparados – Neste universo, seja uma casa de swing ou festas privadas, a regra mais valiosa e respeitada por todos é o “não”. Por isso, podem aceder a estes espaços apenas para observar e usufruir da excitação do ambiente, avançando para outras experiências só quando entenderem.
  4. Façam uma pesquisa para encontrar um local que se adeque às vossas expectativas – Encontrar um local adequado ao primeiro contacto com o meio swinger é essencial. Deverão informar-se sobre as caraterísticas da casa e o que fazer para conseguir acesso.
- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

- Publicidade -

Relacionados

Santa Catarina Sushi Bar. O novo restaurante do Chiado tem tudo para conquistar

Além de sushi, há ainda tacos e ceviche, num restaurante super agradável e que vai ao encontro daquilo que os clientes procuram.

Já podem ter uma party night no Mex Factory

O que significa já podem jantar naquele espaço inserido no icónico LX Factory.

Faro e Oeiras avançam com primeiros contratos PRR para 163 casas

Em Faro, o investimento estimado é de 8,2 milhões de euros, ao passo que, em Oeiras, o investimento é de 19,4 milhões de euros.
- Publicidade -
- Publicidade - trk
- Publicidade -

Mais Recentes

Santa Catarina Sushi Bar. O novo restaurante do Chiado tem tudo para conquistar

Além de sushi, há ainda tacos e ceviche, num restaurante super agradável e que vai ao encontro daquilo que os clientes procuram.

Já podem ter uma party night no Mex Factory

O que significa já podem jantar naquele espaço inserido no icónico LX Factory.

Faro e Oeiras avançam com primeiros contratos PRR para 163 casas

Em Faro, o investimento estimado é de 8,2 milhões de euros, ao passo que, em Oeiras, o investimento é de 19,4 milhões de euros.