Portugueses desenvolveram tecnologia para exploração autónoma das profundezas do oceano

Algo que vai ajudar a reduzir os custos e a ter acesso a novos dados muito mais rapidamente.

- Publicidade -

O Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) e o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) desenvolveram uma nova solução de comunicações de longo alcance e banda larga para ambiente subaquático, para a exploração autónoma do oceano.

A tecnologia, desenvolvida no âmbito do projeto GROW, vai permitir a flexibilidade das operações subaquáticas e reduzir significativamente os custos e o atraso no acesso aos dados recolhidos debaixo de água, estabelecendo um novo paradigma de comunicação para apoiar a exploração do fundo do mar.

O maior conhecimento sobre o fundo do mar implica o desenvolvimento de novas tecnologias, nomeadamente nos domínios das comunicações subaquáticas e da robótica submarina. Por outro lado, a utilização de Veículos Subaquáticos Autónomos (AUVs) é cada vez mais o meio frequente ou preferencial para realizar missões neste ambiente.

Foi nesse sentido que os investigadores portugueses pensaram o projeto GROW. A solução desenvolvida combina tecnologias sem fios de curto alcance, AUVs que percorrem a coluna de água e funcionam como transportadores de dados, e comunicações acústicas, que permitem o controlo da transmissão dos dados em tempo real. Com esta solução, torna-se possível o estabelecimento de uma ligação sem fios entre a superfície de água e o fundo do mar, com maiores taxas de transmissão de dados e menor latência do que as obtidas quando se usam as atuais rotinas de procedimento.

A solução desenvolvida foi testada em ambiente real, a 20 metros de profundidade, durante a campanha de mar que decorreu na baía de Sesimbra a bordo do navio de investigação NI Diplodus. Os testes permitiram comprovar as vantagens da solução desenvolvida face às atualmente disponíveis, e identificar os novos desenvolvimentos necessários para aproximar a tecnologia da sua comercialização.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Huawei quer voltar a ser líder no segmento dos smartphones em Portugal

Mas sem os Google Mobile Services vai ser complicado.

Análise – Razer Anzu

Os Razer Anzu são uma aposta no útil e agradável, que se distancia do mundo do gaming, com algo que pode ser uma bela ferramenta de comunicação dentro e fora de casa.

Xiaomi Mi 11 não vai trazer carregador

Está para começar uma nova era no mundo dos smartphones.

SwatchPAY! já funciona em Portugal

Para já, a parceria de pagamento contactless através da nova linha de relógios é exclusiva da Caixa Geral de Depósitos até 15 de janeiro.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Inaugurado primeiro Espaço Cidadão numa unidade de saúde

Algo que vem facilitar ainda mais a vida aos cidadãos.

Clockwork Aquario – Uma nova oportunidade para este clássico perdido

Anteriormente cancelado, o título da Westone regressa à vida graças à conversão da Inin Games.

Crítica – Resident Evil: Welcome to Raccoon City

Infelizmente, ainda não foi desta que surgiu um filme genuinamente bom de uma adaptação de Resident Evil para o grande ecrã.