Como seriam Porto e Lisboa daqui a 57 anos? Cyberpunk 2077 dá a resposta

- Publicidade -

Spoiler: Nada bonitas.

Porto e Lisboa - Cyberpunk 2077

Cyberpunk 2077 chegou finalmente ao PC e consolas para nos mostrar um mundo futurista consumido pela tecnologia, poluição e ganância das megacorporações que dominam tudo e todos.

Com Night City no centro das atenções, a CD Projekt Red e a Bandai, de modo a promoverem o seu novo jogo, olharam também para outras cidades e capitais do mundo, reimaginando como é que se apresentariam daqui a 57 anos, onde se encontram Porto e Lisboa.

Podemos dizer que as duas cidades não envelheceram muito bem, com o Terreiro do Paço a dar lugar a um espaço de tendas e barracas, e o Porto com uma linha no horizonte poluída de arranha-céus.

Contudo, há um certo encanto com as cores e os neons que brilham ao longe, mas que revelam um mundo absorvido pelo consumismo contrastado com a pobreza.

Night City não é muito diferente mas é, para já, um cenário fictício, onde podemos ser quem nós quisermos e que já pode ser explorada no PC, PlayStation 4 e Xbox One, em Cyberpunk 2077.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

- Publicidade -

Relacionados

Bicicletas da Bird chegaram ao Porto e Espinho

Já são quatro as cidades portuguesas com as bicicletas partilhadas da Bird.

Oca Republik Hotel abre no Porto em setembro

Será a quarta unidade da rede hoteleira espanhola Oca Hotels no Porto.

Lisboa: a cidade mais feliz

O Top 5 do iVisa's Happiest Cities Index 2022 deixa Lisboa à frente de cidades como Barcelona, em Espanha, Atenas, na Grécia, Roma, em Itália, e Sidney, na Austrália.

Infraestruturas de Portugal tem duas hipóteses para reduzir tempo de viagens entre Lisboa e Faro

Ou se melhora a atual linha do sul ou, então, se procede à construção de uma nova linha de alta velocidade.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Governo criar criar mais 10 mil lugares de creche em todo o país nos próximos anos

O Estado deixa de apoiar exclusivamente as famílias de mais baixos rendimentos (1.º e 2.º escalões) e passa a abranger todas as crianças independentemente do rendimento das famílias.

CAMP. Vai acontecer um não-festival numa vinha algarvia

O CAMP reunirá músicos, criadores e pensadores para celebrar a terra, o sentido e a beleza.