PlayStation Stars, o novo sistema de recompensas que lembram NFTs, mas não são definitivamente NFTs

- Publicidade -

A Sony Interactive Entertainment esclareceu rapidamente que não se trata da entrada da marca no mundo dos NFTs.

NFTs e a Blockchain são tecnologias inovadoras e que poderiam ter um futuro mais reluzente aos olhos dos consumidores… se não estivessem poluídas por uma cultura cheia de más intenções. Em particular no mundo dos videojogos, onde as suas aplicações podem ser facilmente predatórias.

Aliados a aparentes esquemas de pirâmide a nível global e com os efeitos nefastos que tiveram no ambiente durante o último ano, com o recurso à blockchain para a sua produção, os NFTs não são vistos com bons olhos por muita gente. E quando surgem iniciativas como o PlayStation Stars, a desconfiança surge em níveis muito altos.

Por alto e à distância, o PlayStation Stars, o novo programa de fidelização e recompensas exclusivas da Sony Interactive Entertainment (SIE), apresenta-se cheia de promessas “emocionantes” para os jogadores. É um programa gratuito, no qual os jogadores podem aceder mensalmente apenas jogando jogos e cumprindo objetivos específicos, participando em campanhas, atividades ou desbloqueando troféus e outros desafios. Os jogadores são depois recompensados com pontos de fidelização que pode ser redimidos para usar na PSN e em produtos selecionados na PlayStation Store.

Além disso, os jogadores terão acesso a colecionáveis digitais, que são “representações digitais de coisas que os fãs da PlayStation gostam, incluindo figuras de personagens queridas e icónicas dos videojogos e outras formas de entretenimento, assim como dispositivos apreciados que exploram a história de inovação da Sony”, diz o comunicado enviado pela empresa.

Um dos exemplos de recompensas dadas neste programa são troféus específicos para jogadores que são os primeiros a platinar um jogo de grande sucesso numa determinada região. Daí tornando-se “A Estrela” da PlayStation.

Se a primeira parte soa a bitcoins e a segunda novidade a NFTs, não vos censuramos, mas, felizmente, esse não é, para já, o caminho da SIE.

Em entrevista ao The Washington Post, Grace Chen, Vice President of Network Advertising, Loyalty & Licensed Merchandise na SIE, tranquilizou a comunidade mais vocal e receosa, dizendo claramente que “não são definitivamente NFTS. Não podem trocar, não podem vender. Não tira partido da tecnologia blockchain e não são definitivamente NFTs”.

Assim, o novo programa PlayStation Stars não passa de uma campanha mais inofensiva, criando uma economia interna e incentivando os jogadores a jogar. É algo que pode ser questionável para os fãs das novas tecnologias, dadas as vantagens que oferecem no que toca a registos seguros e a bragging rights. Por outro, o PlayStation Stars, se funcionar, poderá ser um exemplo perfeito de que não precisamos de NFTs ou blockchains nos jogos para nada.

O programa PlayStation Stars irá dar início em breve através de fases regionais.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

- Publicidade -

Relacionados

As ofertas do PS Plus Extra e Premium incluem Yakuzas, Bugsnax e zero jogos clássicos

Sentimos uma falta de clássicos mais nostálgicos.

Call of Duty: Modern Warfare 2 com beta primeiro na PlayStation

As vantagens continuam, por enquanto, na PlayStation.

Como usar o modo fotografia de Horizon Forbidden West

Um pequeno guia para começar a carreira de fotógrafo virtual ao lado de Aloy.

Passatempo PlayStation – Usa o Modo Fotografia de Horizon Forbidden West ou GT7 e habilita-te a 100€ para usar na PS Store

Deixa-te inspirar pelo Verão e mostra o que és capaz de capturar nos mais recentes jogos PlayStation.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Gelatieiri. A nova gelateria de Vila Real de Santo António tem gelados bem cremosos

E faz-nos lembrar vagamente a La Romana, que fomos experimentar recentemente em Lisboa.

Chuva de reclamações tapa o Sol da Caparica. Afinal, o que se passou?

Mas as palavras de desagrado do público parecem não ter surtido qualquer efeito junto dos promotores.