Maior e mais original parque temático de Natal do país está de regresso este ano

O programa ideal para todas as famílias.

- Publicidade -

O projeto nasceu em 2008 da vontade de estender as celebrações da quadra natalícia a toda a cidade de Santa Maria da Feira. A “Terra dos Sonhos”, como foi inicialmente batizada, foi instalada na emblemática Quinta do Castelo e tinha como objetivo proporcionar momentos únicos de celebração da quadra natalícia em família.

De ano para ano, a originalidade do parque e a qualidade dos conteúdos e divertimentos atraiu milhares de visitantes a Perlim, transformando uma pequena iniciativa num incrível espaço mágico.

Assim, o mês do Natal em Santa Maria da Feira passou a ser especial. Em Dezembro, a cidade pinta-se de alegria e luz e vibra com o parque de Natal. O projeto Perlim à Mesa estende os festejos à restauração do centro de Santa Maria da Feira que prepara ementas, decoração e animação inspirada nas personagens de Perlim.

Porém, veio a pandemia e, tal como tantos outros grandes eventos, aquele que é considerado o maior e mais original parque temático de Natal do país não se realizou no ano passado. Mas este ano o panorama é diferente, havendo todas as condições para a sua realização.

Na verdade, essa confirmação chegou no final do mês passado, com o Presidente da Câmara Municipal, Emídio Sousa, a ter anunciado a abertura do melhor parque temático de Natal do país este ano. Haverá teatro, música, exposições, jogos, divertimentos e, claro, muita magia.

Pelim abre as portas a 1 de dezembro e, durante 23 dias, até 30 de dezembro, o que significa que não estará em funcionamento durante alguns dias do mês, irá receber milhares de famílias de todo o país.

Quanto aos bilhetes, já estão à venda na Ticketline e locais habituais. Nos dias de semana, maiores de 65 anos e crianças dos 3 aos 12 anos de idade pagam 6€, ao passo que os restantes terão de desembolsar 7€ por bilhete. Aos fins de semana, os preços sobem 1€. Para quem quiser ir mais do que uma vez, o mais sensato será optar pela pulseira de acesso, que permite a repetição da visita em todos os dias de realização do evento.

- Publicidade -

1 Comentário

  1. Fazem muito alarido por ser o maior e melhor… Mas esquecem-se de mencionar que é o que pior paga aos profissionais que lá trabalham! Esqueçem-se de mencionar que é, de todos os eventos deste género em Portugal, aquele que mais vive do precariado de actores, músicos e artistas de circo. Um evento com rendimentos astronómicos, que todos os anos obriga companhias a baixar orçamentos para valores muito abaixo do estipulado nas tabelas do cena-ste, sindicato dos trabalhadores de espetáculos, do audiovisual e dos músicos. Além da exploração de trabalho voluntário, a escravidão do século XXI. E esqueçem-se acima de tudo de mencionar para onde vão os rendimentos do evento, já que não é para pagar a quem lá trabalha.

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Inaugurado primeiro Espaço Cidadão numa unidade de saúde

Algo que vem facilitar ainda mais a vida aos cidadãos.

Clockwork Aquario – Uma nova oportunidade para este clássico perdido

Anteriormente cancelado, o título da Westone regressa à vida graças à conversão da Inin Games.

Crítica – Resident Evil: Welcome to Raccoon City

Infelizmente, ainda não foi desta que surgiu um filme genuinamente bom de uma adaptação de Resident Evil para o grande ecrã.