Passageiros de voos internacionais terão de apresentar um teste negativo no momento do embarque (além do certificado digital) para Portugal

- Publicidade -

Se este teste não for apresentado, o passageiro pode não embarcar e as companhias áreas ficam sujeitas a coimas.

Há novos procedimentos a ser aplicados nos aeroportos a partir de 1 de dezembro. A partir das 00h desta quarta-feira, todos os passageiros de voos internacionais, para além de possuírem o certificado de vacinação, terão de apresentar um teste no momento do embarque. Pode ser um teste PCR ou teste rápido com antecedência de 72 horas ou 48 horas, respetivamente.

Também a partir da meia-noite 1 de dezembro, os passageiros que vêm de origem não Schengen passam ser controlados por uma empresa de segurança – que foi contratada pela ANA – para fazer a verificação desta documentação antes do controlo de passaportes.

No caso dos voos com origem Schengen, esse controlo vai ser feito nas chegadas, na área pública de chegadas pós-alfandega. Para evitar que haja um duplo controlo, aos passageiros que já o fizeram no interior do terminal, será entregue uma pulseira que permitirá que sejam retirados do percurso onde seriam novamente controlados.

Estão isentos destes procedimentos os passageiros domésticos, que viajem de outro aeroporto nacional. Estes passageiros também irão receber uma pulseira na origem e vão poder passar pelo canal dos passageiros que já foram controlados no espaço Schengen.

A isenção aplica-se ainda a passageiros com menos de 12 anos e às tripulações, de acordo com a legislação agora em vigor.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes