Os seis erros mais comuns ao usar redes Wi-Fi públicas

por Echo Boomer

Hoje em dia encontramos uma rede Wi-Fi pública em qualquer lugar. Seja no nosso café favorito, no centro comercial, nos transportes ou qualquer outro lugar, há sempre uma espécie de rede Wi-Fi gratuita.

Estas ligações tornam a nossa vida mais fácil do que nunca e poupam-nos tempo a tentar encontrar formas de nos conectarmos a internet. Mas existem alguns problemas neste sistema que revelam riscos de segurança dos nossos dados privados guardados nos nossos dispositivos.

Neste artigo, vamos olhar para este tipo de redes Wi-Fi públicas e para os seis erros mais comuns que as pessoas cometem quando se ligam numa rede pública.

Wi-Fi Segura e Insegura

No mundo das ligações públicas, há dois tipos de ligações Wi-Fi: as seguras e as inseguras.

As ligações Wi-Fi seguras normalmente requerem que os utilizadores se registem antes de acederam à rede. Estes também terão que aceitar os termos e condições legais, assim como introduzir uma password para ganhar acesso. Em alguns casos, as ligações até requerem uma prova de compra numa loja (em caso de centros comerciais) para fazer a ligação.

Do outro lado temos as ligações Wi-Fi inseguras, que se deixam ligar por qualquer utilizador ao seu alcance, não requerendo um username ou uma password. A maioria das fontes Wi-Fi caiem nesta categoria, o que significa que os seus donos não implementaram nenhuma forma de segurança.

Ainda assim, pouco interessa o tipo de ligação que se use. Segura ou não, é importante ter sempre cuidado quando se usa uma ligação à internet pública.

1- Não usar um VPN

Esta é uma das formas mais comuns de colocar em causa os nossos dados privados. O uso de uma VPN, ou Virtual Private Network (Ligação Virtual Privada), é uma forma de proteger e criar uma barreira segura, um túnel encriptado, onde qualquer informação ou dado tem que ser filtrado antes de ser enviado para a rede.

Ao mesmo tempo, uma VPN pode mascarar o endereço IP de um dispositivo, tornando-o anónimo e confidencial enquanto estamos online.

Um bom exemplo de serviços VPN é o PureVPN, e podem aprender mais sobre ele aqui.

2 – Aceder aos dados pessoais delicados

Não é preciso pensar muito para chegar à conclusão de que aceder a dados delicados, como contas bancárias e outro tipo de acessos, na fila para o café, é perigoso. Na realidade, nem sequer é recomendável fazer esse tipo de operações numa rede de Wi-Fi pública.

Até nas redes mais seguras é possível encontrar vulnerabilidades, pelo que o risco está sempre presente. Assim, o melhor é evitar este tipo de acessos delicados com contas pessoais neste tipo de redes.

3 – Deixar os nossos dispositivos sozinhos

Mesmo nos locais mais seguros, deixar um smartphone ou um computador em cima da mesa do café pode ser um risco, porque nunca estamos certos das intenções das pessoas que nos rodeiam.

É importante nunca deixar nenhum dispositivo à vista ou sozinho. Mesmo com o uso de um VPN numa rede segura, nada nos impede se sermos assaltados enquanto vamos à casa de banho.

4 – Fazer compras Online

Da mesma forma que não se deve aceder a contas privadas como a do nosso banco, fazer compras online numa rede Wi-Fi pública também representa um risco. Embora a navegação nas lojas online para comprar o que estamos a ver nas montras não represente nenhum risco, o ato de compra com a inserção de dados pessoais pode ser um problema.

Um criminoso mais atento e com habilidades tecnológicas pode observar a nossa atividade e roubar um cartão de crédito, ou outros dados de pagamento, sem sabermos. Por isso, não importa o tipo de proteção: compras online em ligações Wi-Fi públicas não são recomendáveis.

Podem aprender mais sobre os riscos de compras online aqui.

5 – Deixar modos de ligação automática ligados

A maioria dos portáteis, smartphones e tablets têm funcionalidades de ligação automática, o que permite a ligação instantânea a fontes Wi-Fi assim que entramos no seu alcance. Embora pareça uma funcionalidade extremamente útil e conveniente, pode permitir a ligação automática a qualquer dispositivo inseguro sem nos apercebermos.

A melhor maneira de evitar isto é desligar por completo esta funcionalidade, em particular se estivermos em locais desconhecidos.

6 – Deixar o Bluetooth sempre ligado

Embora o Bluetooth seja mais uma funcionalidade cómoda para nos ligarmos entre dispositivos de forma fácil e rápida, também representa um grande risco para a nossa segurança online quando estamos perto de uma rede Wi-Fi pública.

O Bluetooth funciona ao permitir que todos os tipos de dispositivos comuniquem entre si uns com os outros. O problema é que alguns piratas informáticos e criminosos por vezes observam sinais de Bluetooth de forma a ligarem-se a dispositivos desprotegidos.

Com tudo isto, a melhor maneira de proteger a nossa privacidade é desligar esta funcionalidade quando não a estamos a usar, e especialmente, em áreas de acesso Wi-Fi públicas.

1 Comentário

Avatar
José 19/04/2019 - 9:59

Quanto ao que eu possa entender, os verdadeiros criminosos são os construtores de todo e qualquer aparelho informático, que permitem estas lamentáveis situações, não criando segurança adequada. O mesmo acontece com quem cria anti-virus.
Cria-se a ideia que tais criadores se tornam imponíveis e bem protegidos, e que a lei e/ou justiça de cada pais (nomeadamente o de origem) compactuam com isto.
Se não compctua… não se vê nada de concreto! Estranho, não é? Ou será que não conhece tal situação? Ou não quer saber disso?
Só ladrão de galinhas é que é levado à malha da “justiça”

Reply

Deixar uma resposta

Também pode interessar

O Echo Boomer utiliza cookies para dar a melhor experiência possível aos nossos leitores. Aceitar Ler mais

%d bloggers like this: