O que significam as informações dos Cartões de Crédito? O número, o CVV ou CVC, entre outros…

por Echo Boomer

Sabemos muito sobre cartões de crédito, mas, no uso diário que lhes damos, o significado das informações que nestes constam passam-nos ao lado. Procurámos saber mais sobre cartões de crédito para que fiquem a saber tudo sobre o mundo que nestes está plasmado a nível de informação e segurança.

Antes de saber como funcionam os cartões de crédito, relembremos, antes de mais, informações básicas sobre os cartões bancários em geral:

  • Estes têm um prazo de validade, geralmente não inferior a um ano;
  • Têm custos associados à sua emissão e utilização: juros, anuidades e comissões que devem ser expressos no tarifário da entidade emissora do cartão;
  • O cartão é propriedade dessa entidade, cedendo esta o direito de uso ao cliente/ titular durante a vigência do contrato;
  • Os cartões de crédito, de que aqui tratamos, são um dos tipos de cartões existentes. Têm um limite máximo de crédito – plafond – permitindo pagar bens, serviços e disponibilizar cash advance (levantamento em numerário) em caixas automáticas, dentro do limite do crédito atribuído e do montante disponível, implicando a cobrança de comissões e eventuais juros;
  • Podem optar por várias modalidades de pagamento do montante em dívida nos cartões de crédito: pagamento integral do valor ou parcial, escolha essa que se refletirá nos juros cobrados.

Vejamos agora, em concreto, as informações que constam dos cartões de crédito.

Cartões de Crédito: O número CVV ou CVC e todas as outras informações

Antes de mais, apresentam o nome do titular, a sua assinatura, a data de validade e a identificação da rede de pagamento. Relevante para elucidar como funcionam os cartões de crédito é o respetivo número. Este é apresentado na frente do cartão e os seus números – agrupados em quatro – correspondem ao tipo de cartão, emissor, país que o emite e um dígito de verificação, tudo segundo o padrão ISO/IEC 7812 que dá significado aos números apresentados. Os primeiros quatro números do cartão estão relacionados com o tipo de entidade que emite o cartão, sendo o primeiro correspondente à empresa de pagamentos.

No caso dos cartões de crédito do Unibanco, o primeiro número é o 4, visto que a empresa de pagamentos é a Visa. Do quinto ao décimo quinto dígito são identificados o titular do cartão e a conta a que este está associado. O último número do cartão é calculado através do algoritmo Luhn.

Quem se pergunta sobre como funcionam os cartões de crédito, questiona-se sobre o significado de CVV, ou CVC – valor de verificação do cartão ou código de valor de verificação/validação. Este é um número que consta do verso do cartão e é um código de segurança para prevenir fraudes nos cartões de crédito, servindo para salvaguardar os dados do titular do cartão em pagamentos que não necessitem do cartão físico – como as transações realizadas online. No verso dos cartões de crédito constam dois agrupamentos de números, sendo o primeiro – o CVV1 – correspondente aos últimos 4 números do código de 16 dígitos na frente dos cartões de crédito. A segunda parte é o CVV2 – um algoritmo de número aleatório habitualmente composto por três dígitos.

Saber como funcionam os cartões de crédito é também saber o que é exatamente o Chip EMV. Este é um chip usado como forma de segurança extra para transações efetuadas com o cartão. Transmite dados entre o cartão de crédito, o terminal de pagamento e a instituição financeira, gerando um código de transação único. Tem esse nome porque é uma tecnologia criada pela Europay, MasterCard e a Visa.

Falar em tecnologia é mencionar ainda a tecnologia contactless, que permite um pagamento até um certo valor – habitualmente, 20 euros – sem que seja necessário digitar o código PIN. Basta que o titular do cartão aproxime o cartão até alguns centímetros do terminal de pagamento para que a transação seja realizada. O holograma de segurança, por seu turno e como o nome indica, é mais um reforço de segurança do cartão, revelando diversas faixas de imagens em ângulos distintos dando a ilusão de movimento e tornando impossível a clonagem do cartão.

Para terminar, a banda magnética é um componente localizado no verso do cartão – a faixa preta horizontal – sendo composta por milhões de partículas magnéticas com todos os dados sobre o cartão, titular e entidade emissora do mesmo. Quando é passada pelo TPA o titular do cartão tem apenas que introduzir o seu PIN para completar a transação.

Deixar uma resposta

Também pode interessar

O Echo Boomer utiliza cookies para dar a melhor experiência possível aos nossos leitores. Aceitar Ler mais

%d bloggers like this: