O fenómeno global movimento Veganuary

O Veganuary é um evento digital que vai muito para além dos ecrãs dos computadores e dos smartphones.

Veganuary
- Publicidade -

O evento foi fundado e lançado pela ONG com o mesmo nome, tendo o objetivo de desafiar as pessoas a alimentarem-se com comida vegan durante o mês de janeiro – daí o nome.

Contudo, a ideia ultrapassa as fronteiras do mês em causa e procura promover o estilo de vida vegan durante todo ano, pretendendo mudar as atitudes dos consumidores, consciencializando-os para a importância de ser vegan.

Resultado? Mais de meio milhão de pessoas responderam ao desafio e comeram apenas vegan durante o passado mês de janeiro.

O método é simples. O Veganuary vai partilhando informações sobre como ser vegan, com os inscritos a receberem um e-mail todos os dias, sendo ainda inspirados a partilhar a sua jornada nas redes sociais.

A hashtag Veganuary teve mais de 170 milhões de views no TikTok, só no final de janeiro de 2021, o que é impressionante.

A campanha assenta em três eixos vegan: os animais, o ambiente e a saúde.

O Veganuary não se dirige apenas aos consumidores, mas também às empresas, e tem como propósito “trabalhar com empresas para promover o fornecimento de comida vegana em lojas e restaurantes, tornando o veganismo mais visível e acessível” através da sua comunicação.

No caso britânico, assinala-se que cadeias de supermercados como a Tesco e o Aldi juntaram-se à iniciativa.

A propósito desta, Torni Vernelli, Diretora de Comunicação da Veganuary, declarou ao The Guardian “que comer vegan deixou de ser controverso” e que já é commumente aceite que “precisamos de reduzir produtos de origem animal nas nossas dietas por razões ambientais”.

Vernelli refere ainda a importância destas cadeias de supermercados se terem juntado à iniciativa.

“A forma como os supermercados britânicos acolheram o Veganuary este ano foi verdadeiramente marcante. Não estão simplesmente a usar como oportunidade de marketing, mas a promover os benefícios de uma dieta de comida vegan. Como bastiões de fornecimento de comida, sabem que o único caminho possível é vegan.”

De acordo com a mesma prestigiada publicação britânica, um estudo do banco de investimento suíço UBS, levado a cabo no Reino Unido, Alemanha e Estados Unidos da América, indicou que o número de consumidores que procuraram alternativas à sua dieta habitual subiu de 48% para 53% de março a novembro de 2020.

Estes dados não podem deixar de ser associados à pandemia da Covid-19, que veio colocar a nu a falta de sustentabilidade do estilo de vida ocidental, tanto na exploração de recursos naturais como na relação com os animais, para além das evidentes questões de saúde que suscitou.

Lembre-se que a dieta vegan tem inúmeras vantagens para a saúde, diminuindo o risco de doenças remato-oncológicas e cardiovasculares.

Foram mais de 1 milhão de pessoas que desde o início do evento, em 2014, já responderam ao desafio Veganuary. Desde 2018, a participação no evento cresceu cerca de 200%. Os números não enganam.

Número de participantes no Veganuary

Veganuary

De acordo com informações avançadas pelo Vegfund, mais de metade destes participantes comia uma dieta à base de carne.

No ano passado, mais de 50% dos participantes no Veganuary declarou ter uma motivação ética para aderir e 38% participou por questões de saúde. Segundo dados recolhidos no mesmo site, 72% dos participantes no Veganuary pretende estender a dieta vegan para além do mês de janeiro.

Querem saber mais sobre como se tornarem veganos?

O restaurante vegano em LisboaOrgani Chiado publica no seu blog vários artigos com dicas e recomendações sobre como se tornar vegan, entre outros temas. Podemos encontrar conselhos sobre a forma mais saudável de fazer a transição para a dieta vegan, incluindo uma ligação para as Linhas de Orientação para uma Alimentação Vegetariana Saudável da Direção-Geral de Saúde.

Ser vegan não é apenas uma imersão na comida sem ingredientes de origem animal, não consumir produtos que causam qualquer sofrimento animal e não participar em manifestações de crueldade para com os animais.

É isso, mas num contexto maior: um estilo de vida com uma postura consciente e ativa sobre um planeta que se quer mais verde e onde todos os habitantes deste planeta – humanos e não-humanos – possam viver em harmonia. Para além do planeta, e como se isso não bastasse, ser vegan traz óbvios benefícios para a saúde.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Pingo Doce chega pela primeira vez aos Açores

O sortido do espaço conta com muitos produtos regionais, fruto das parcerias feitas com 129 fornecedores dos Açores.

Continente abre primeira loja em Gouveia

Continua a expansão da marca da Sonae.

Lagoa dos Salgados será classificada como área protegida de âmbito nacional

Há 21 anos que, em Portugal, não era classificada nenhuma área protegida de interesse nacional.