NOS Alive 2018 | Snow Patrol – Até se esforçaram, mas o público não aderiu

Apesar de terem lançado, em 1998, o primeiro álbum de estúdio, foi somente em 2003, com o lançamento de Final Straw, que os Snow Patrol começaram a dar nas vistas e a ser falados além Reino Unido e Estados Unidos. Foi, desse álbum, que saíram os sucessos “Chocolate” e “Run”, que, mais tarde, viria a ganhar uma conhecida cover por parte de Leona Lewis.

- Publicidade -

É bastante complicado definir os Snow Patrol em 2018. Pode-se dizer que beneficiaram do facto da pop britânica estar no seu auge no começo do novo milénio. Se Final Straw era o primeiro disco com sucesso dos britânicos, Eyes Open ainda o foi mais, tendo-se tornado no álbum que mais vendeu no Reino Unido em 2006. “You’re All I Have”, “Hands Open”, “Open Your Eyes” e o mega sucesso “Chasing Cars”, ainda mais popularizado por ter aparecido na série Anatomia de Grey. Mas o que parecia ser uma carreira auspiciosa dos Snow Patrol rapidamente esfumou-se graças aos bloqueios criativos do vocalista Gary Lightbody.

Poderíamos definir os Snow Patrol como one-hit wonder, bandas apenas conhecidas por aquela música que passava na rádio. A sorte deles, porém, foi que conseguiram fazer um punhado de bons temas em cada álbum que ficaram conhecidos. Porém, esse é também um problema, uma vez que, se apenas esses punhados de temas forem conhecidos do público, eles ficam reféns das suas próprias canções. E, no decurso de uma carreira na área musical, há que conseguir fazer um álbum onde todas as canções sejam boas. Infelizmente, não foi o caso dos Snow Patrol, e isso notou-se no concerto da passada quinta-feira.

Com novo álbum lançado este ano – Wilderness, que chegou somente sete anos após Fallen Empires -, a banda aproveitou para mostrar “Don’t Give In” e “Empress”, do novo registo, mas já sabia que teria de jogar as cartadas para conseguir as atenções de um público adormecido. Lá o conseguiram, especialmente com “Run” e “Chasing Cars”, mas, de resto, a atuação da banda serviu apenas para entreter a malta enquanto não chegavam os Arctic Monkeys.

Gary Lightbody parecia – ou pelo menos disfarçava bem – feliz pelo regresso a Portugal. Sempre simpático e bem-disposto, foram somente 11 as músicas que interpretou. Um concerto curtinho, mas que pode deixar antever o concerto que vão dar no próximo ano no Campo Pequeno. Esperemos que tenham mais sorte.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Crítica – Malignant

Malignant é mais um excelente filme de origem de uma nova franchise criada por um dos cineastas de horror mais bem sucedidos do século, James Wan.

Crítica – The Night House (MOTELX)

Não é um filme que pareça trazer algo de novo, mas esconde boas surpresas sob a superfície, com um enredo que é tanto clássico como original.

Crítica – Mad God (MOTELX)

Se aceitarem que um filme pode ser como um sonho, demente, descontrolado e desnecessário de ser explicado, então irão apreciar Mad God.

Crítica – Sweetie, You Won’t Believe It (MOTELX)

Sweetie, You Won't Believe It não é um filme que se propõe a oferecer nada de novo ao género, mas é uma lufada de ar fresco no panorama internacional de comédias de terror.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Análises de videojogos: Adeus Notas

Porque opiniões são mais do que notas e números.

KEO adia a data do Early Access para o final do ano

O jogo da Redcatpig precisa de afinações de última hora.

Uber investe milhões de euros em Lisboa e quer contratar mais 200 colaboradores até ao final de 2021

A Uber chegou a Portugal em 2014 e, desde então, tem crescido sem parar.