Nick Murphy no Coliseu do Porto – De mãos dadas com Chet Faker

Nick Murphy, anteriormente conhecido como Chet Faker, regressou a Portugal na passada semana para dois concertos nos coliseus de Lisboa e Porto.

- Publicidade -

Ainda que a capa destes eventos tenha sido o novo álbum do artista australiano, Run Fast Sleep Naked, lançado em março deste ano, houve muito do universo de Chet Faker.

Passava pouco das 21 horas, hora prevista para o início do espetáculo, quando Cleopold subiu ao palco. O cantor e compositor australiano, munido sempre do seu teclado, mostrou um pouco do seu trabalho em pouco mais de 30 minutos, presenteando o público com o seu EP de estreia, Altitude & Oxygen, lançado em 2016, e também alguns temas que gravou recentemente.

Foi já com o Coliseu praticamente lotado que Nick Murphy e a sua banda surgiram em palco numa receção a roçar o histerismo por parte dos fãs para dar começo ao espetáculo com o primeiro tema do recente álbum (“Hear It Now”).

Cleopold no Coliseu do Porto. Créditos: Telmo Pinto

Publicado por Echo Boomer em Quarta-feira, 9 de outubro de 2019

Foi, contudo, sem demoras que recuámos no tempo para os tempos de Chet Faker e para o seu longa duração Built On Glass, de 2014, com “Gold” e “1998”. Tempos áureos que conquistaram o público português e que está bem espelhado nas primeiras filas do Coliseu com tamanha euforia à receção do mesmo.

A banda mostrou-se bastante segura, fazendo a ligação com todo o instrumental de forma bastante homogénea. Nick Murphy alternava entre a guitarra e o sintetizador e, entretanto, entoou-se “guess i’m losing my mind” por toda a sala num regresso ao álbum Run Fast Sleep Naked com o tema “Harry Takes Drugs On The Weekend”.

É bem notória a importância que o trabalho da “antiga” personalidade Chet Faker tem na atualidade de Nick Murphy. Daí o artista australiano abraçar toda a sua discografia. Exemplo disso é a aparição de temas como “Birthday Card” ou “The Trouble With Us”, do EP de 2015, Work.

Nick Murphy no Coliseu do Porto. Créditos: Telmo Pinto

Publicado por Echo Boomer em Quarta-feira, 9 de outubro de 2019

Houve também tempo para o seu EP de estreia de 2012, Thinking Of Textures, com o tema “I’m Into You”, numa versão acústica e mais intimista com apenas Nick Murphy em palco no piano.

O concerto, que não foi muito extenso, caminhava a passos largos para o seu final, e já depois de “Novacaine and Coca-Cola”, adivinhava-se uma das músicas mais aguardadas da noite (claro está da era Chet Faker), “Talk Is Cheap”, que terminou numa imensa ovação com Nick e a sua banda a abandonar o palco já com o encore à vista.

Para colocar a cereja no topo de bolo, seguiu-se “Dangerous” e “Sanity”, dois dos temas mais amados deste recente álbum e que provocaram uma despedida eufórica e sentida de um Coliseu bem perto da sua lotação.

Apesar da nova identidade e de algumas mudanças na sua música, Nick Murphy continua de mãos bem dadas com Chet Faker e a ser um artista bem amado pelo público português.

Fotos de: Telmo Pinto

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,379FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
653SeguidoresSeguir

Relacionados

Trivium regressam a Portugal em 2021

Será que vão ter novamente o cantor Toy como convidado especial?

Música: Álbuns essenciais (outubro)

Há poucos paralelismos com o mês de setembro, na medida em que tudo estava controlado até meio do mês.

Ghostemane regressa a Portugal em novembro de 2021

Ainda este ano, antes da pandemia, Ghostemane deu espetáculos em Portugal.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Clientes Revolut já podem aceder às suas contas através do PC

Está agora disponível uma web app online para clientes.

Behemoth e Arch Enemy dão concertos em Portugal em outubro do próximo ano

Duas das mais aplaudidas bandas do metal extremo contemporâneo: de um lado, um grupo clássico do death metal; do outro, um dos projetos emergentes mais interessantes dos últimos anos.