MyCloma. A plataforma portuguesa para recolha, compra e venda de roupa em segunda mão

Além de incentivar a compra destes produtos, os responsáveis da MyCloma querem ajudar a reduzir a pegada ecológica do setor têxtil em Portugal.

MyCloma
- Publicidade -

A ideia de todo o conceito é da fundadora Ana Catarina Monteiro, jovem estudante universitária do curso de Contabilidade, no Porto. Por ser alguém com forte sensibilidade para as questões ligadas à sustentabilidade e ecologia, idealizou a criação de uma empresa que contribuísse para reduzir eficazmente o impacto ambiental associado ao excesso de consumo de roupa e acessórios em Portugal.

Assim, e já com a ajuda de mais quatro jovens portugueses, eis que surge a MyCloma, uma plataforma online que tem como principal objetivo promover a economia circular através do prolongamento da vida útil da roupa, reduzindo, assim, o impacto ambiental da roupa que compramos com uma vertente social.

Qualquer pessoa pode solicitar um pedido de recolha de vestuário e/ou acessórios que pretende vender sem sair do conforto de sua casa. Basta preencher um formulário, arranjar uma embalagem e colar uma etiqueta que a plataforma irá enviar via email. Depois é esperar que a transportadora passe pelo local a recolher.

Estas peças serão posteriormente validadas, fotografadas e colocadas à venda na plataforma. No prazo de 10 dias úteis desde a receção das peças, a equipa MyCloma enviará um e-mail com a valorização correspondente. Caso o dono original concorde – após cinco dias assumem a aprovação tácita da tua parte -, a peça ou peças de roupa estão prontas para ter um novo dono.

Caso os produtos enviados não preencham os requisitos de qualidade estipulados, o cliente tem a opção de pedir a sua devolução ou optar que a MyCloma entregue diretamente numa organização sem fins lucrativos (ONG) parceira da empresa.

Após a venda, o cliente poderá reinvestir o ganho das vendas noutros artigos ou, caso pretenda, solicitar a transferência para a sua conta bancária, que pode demorar até 30 dias. Em relação a esta questão dos ganhos, a MyCloma quer dar a quem compra e a quem vende o preço mais justo. Para isso, criaram uma tabela que privilegia as melhores peças de roupa.

Assim, quanto melhor a peça, maior a valorização e maior a percentagem dada ao cliente. Ao valor de cada peça será subtraído um custo de gestão de 2€. Estes valores terão de ser acrescidos de IVA à taxa de lei em vigor.

A plataforma já conta com mais de 400 artigos, sendo atualizada com novas adições diariamente.

No que toca ao pagamento, a MyCloma aceita Multibanco ou MBWay. Já os portes de envio são de 3,99€, valor esse que é oferecido em encomendas superiores a 29,99€.

- Publicidade -

Parceiros

Relacionados

Toda a roupa da Primark vai ser produzida a partir de materiais reciclados ou de origem sustentável até 2030

A marca promete criar ofertas mais sustentáveis e acessíveis a todos.

Está de volta a coleção do Lidl que levou as pessoas à loucura. E com novidades

A famosa coleção com o logótipo do Lidl está de volta às lojas, a partir do dia 8 de julho, com novos artigos para este Verão.

Famosa coleção de roupa e calçado do Lidl à venda em Portugal

Várias peças chegaram a estar à venda no eBay por 2.000€. Lançada em julho, deste ano, em países como a...

Loja da Salsa no Porto testa tecnologia que esteriliza roupa em 30 segundos

A tecnologia foi desenvolvida pela famalicense MTEX NS em parceria com a Universidade Católica e o CITEVE.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Filme animado de Super Mario com elenco surpreendente

Com Chris Pratt a dar a voz à mascote da Nintendo, seja bom ou mau, certamente será algo de especial.

Kirby regressa com um jogo a solo com Kirby and the Forgotten Land

Kirby aterra na Nintendo Switch com um jogo de exploração e plataformas 3D.

Bayonetta 3 é oficial, recebe um trailer e chega em 2022

O desespero terminou, o terceiro jogo de Bayonetta vem mesmo aí.