Pinhais abre museu vivo dedicado à indústria conserveira em Matosinhos ainda este ano

- Publicidade -

O investimento é superior a dois milhões de euros.

Classificada como Imóvel de Interesse Municipal, a fábrica de conservas Pinhais, localizada na Avenida Menéres, em Matosinhos, que completou, em 2020, 100 anos de vida, mantém o processo de produção artesanal, empregando 135 colaboradores/as. Isto mesmo após a venda à empresa austríaca Glatz, que fez questão de manter o método de fabrico tradicional.

Para este ano, a fábrica tem um grande projeto a ficar concluído em breve: um museu vivo dedicado à indústria conserveira.

O espaço contará a história da indústria conserveira e pretende contribuir para a sustentabilidade e valorização da indústria conserveira de Matosinhos.

Os visitantes, incluindo os cidadãos com mobilidade reduzida, poderão acompanhar todo o processo de produção, participar em provas de degustação e empapelar a sua própria lata. O espaço terá loja, sala de cinema, serviço educativo, bistrô, entre outras novidades.

Caso as obras não atrasem, o que costuma ser bastante recorrente neste tipo de projeto, o Museu da Conservas Pinhais deverá abrir algures nos próximos meses na cidade de Matosinhos.

O investimento, superior a dois milhões de euros, conta com um financiamento comunitário superior a 900 mil euros.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes