Análise – Monster Hunter World – Está aberta a época de caça

por David Fialho

Monster Hunter World é o jogo sensação do momento. Altamente aclamado pela imprensa e a ocupar lugares nos tops de vendas, é também dos jogos que mais tempo tem consumido aos jogadores. A Capcom tem agora no mercado um dos títulos mais cativantes e viciantes dos últimos anos.

Monster Hunter World é um jogo RPG de ação e exploração que, como o nome pode deixar adivinhar, introduz elementos online. O jogo começa por deixar-nos criar uma personagem e um amigo felino que nos vai acompanhar nas nossas aventuras, para, logo depois, atirar-nos para uma série de eventos narrativos que introduzem as bases de jogabilidade. No fundo, um inicio/tutorial como em qualquer outro videojogo.

É, porém, quando nos larga das mãos e conseguimos iniciar a exploração da primeira área, que começamos a perceber a densidade de Monster Hunter World e a esfregar as mãos com as potencialidades deste jogo. Há muito para fazer e para aprender.

Para começarmos a ter alguma diversão com o jogo, é importante ter em conta que, aqui, não vamos ter uma história rica em eventos ou personagens. Vamos, sim, ter uma pequena estrutura composta por pequenos episódios que ligam às missões mais importantes. Tudo o que importa é exploração, estratégia, evolução e dedicação.

Análise – Monster Hunter World – Está aberta a época de caçaMonster Hunter World

Monster Hunter World assemelha-se ao estilo de jogo online onde o que interessa é evoluir. Apanhar itens, criar armas e armaduras, fazer caçadas, fazer missões secundárias, subir de nível e ir repetindo vezes e vezes sem conta até ficarmos satisfeitos. O objetivo final nem será chegar ao topo, mas sim completar todas as tarefas e ter todos os pontos do mapa explorados.

Há coisas boas e coisas más. As más serão, certamente, a fadiga e o cansaço quando nos confrontamos com uma barreira de dificuldade. De resto apenas temos pontos positivos.

O facto de termos uma plataforma online que nos permite interagir com outros jogadores de forma cooperativa, que jogam apenas com o intuito de evoluir as suas personagens, é uma barreira de dificuldade que pode ser ultrapassada com a ajuda de uma mão amiga, lançando um sinal de SOS, em que facilmente um, dois, ou três jogadores se juntam a nós para deitar abaixo um dragão. Outros jogos introduzem mecânicas semelhantes, como em Destiny ou Dark Souls, mas o facto deste título se centrar apenas nas caçadas, torna este elemento cooperativo quase uma necessidade partilhada.

Claro, estas caçadas também podem ser feitas a solo. Aliás, todo o jogo pode ser feito a solo, mas com um nível de dificuldade ajustado a esse facto. Não estamos perante um jogo fácil, especialmente no início, onde é fácil pensarmos para nós mesmos se estamos a jogar bem ou se estamos a usar as armas e as armaduras corretas. A verdade é que não há uma forma correta de jogar Monster Hunter World; basta fazer os objetivos planeados, umas explorações livres sem compromisso e, sem querer, temos os recursos suficientes para evoluir as nossas personagens.

Ao nosso dispor, temos cerca de 14 armas para usar logo de início e, à medida que progredimos, é-nos possível melhorá-las ou criar versões alternativas com os materiais que vamos apanhando. Daí a exploração ser crucial.

São as armas que transformam a nossa maneira de jogar, pois todas elas têm diferentes tipos de ataque, podendo ser mais ou menos úteis contra certos tipos de inimigos.

Monster Hunter WorldAnálise – Monster Hunter World – Está aberta a época de caça

As caçadas são, sem dúvida, os elementos mais divertidos deste jogo. Não basta só entrarmos num mapa, ir ao seu covil e dar-lhes três ou quatro pancadas. Aqui temos que seguir pistas, pegadas ou vestígios de passagem; temos de, por vezes, encontrar-nos com outros monstros, em batalhas que podem durar dezenas de minutos. A preparação e vontade são pontos-chave, isto é, é necessário apostarmos nas armas certas e os itens certos, dependendo do tipo de ofensiva em que temos de investir.

Durante estes combates, as criaturas usam diferentes tipos de ataques e fogem para outras áreas do mapa. Cabe ao jogador não só usar as suas lâminas ou projéteis, mas também estar atento ao desenho da área para que possa criar armadilhas e usar o ambiente de forma estratégica. Mais uma vez, os modos cooperativos mostram-se extremamente divertidos, especialmente quando temos jogadores a fazerem de isco enquanto outros se preparam para saltar para cima das criaturas ou para fazer armadilhas. É delicioso.

Visualmente o jogo pode fazer torcer alguns narizes, especialmente quando referimos os visuais um pouco sujos, as caras das personagens ou a falta de vozes nas interações, entre outros pormenores. No entanto, o modo como o jogo se apresenta é sólido e cheio de charme. A arte do jogo é coesa, tem identidade e os ambientes são diversos e coloridos, assim como as criaturas, que, sem dúvida alguma, são uma delícia de encontrar e observar, com animações fluidas e realistas que lhes dão a devida sensação de corpo e peso. Especialmente as criaturas maiores.

Aliado a isso, é sempre fantástico quando duas criaturas começam a combater durante uma caçada, em que ficamos a observar a luta na esperança que a nossa presa caia para o lado. Encontrar personagens secundárias, especialmente outros companheiros felinos, é sempre um regalo para os olhos. Já as animações, no que toca à criação de armas e armaduras ou das refeições que nos dão poderes especiais, são muito engraçadas.

Monster Hunter World

Para além de tudo o que o jogo nos oferece de uma forma mais direta, há uma série de missões a cumprir, indo desde investigações para compreender aquele mundo e apanhar recursos a batalhas em arenas ou, até, a eventos especiais temporários lançados pela própria produtora, como um que nos dá acesso a conteúdos de Horizon: Zero Dawn (apenas na versão PlayStation 4).

Monster Hunter World podia estar mais bem polido em alguns aspetos, tanto técnicos como a nível de conteúdo, mas há tanto para o jogador aprender e fazer de forma diferente, que é muito difícil largar as mãos do comando. Sem dúvida alguma, um jogo extremamente divertido para consumir muitas horas.

Monster Hunter World está disponível para PlayStation 4, Xbox One e PC.

O jogo (versão PS4) foi cedido para análise pela EcoPlay.


 

Deixar uma resposta

Também pode interessar

O Echo Boomer utiliza cookies para dar a melhor experiência possível aos nossos leitores. Aceitar Ler mais

%d bloggers like this: