Mercadona vai ter novos horários a partir de 11 de maio e passa a vender máscaras não reutilizáveis

A Mercadona já tinha adotado umas quantas medidas no passado. Agora, e com o desconfinamento, adapta-se a uma nova realidade.

Mercadona
- Publicidade -

Há uns tempos, a Mercadona, tal como as outras retalhistas, teve de adaptar os seus horários e acessos às lojas devido à pandemia de COVID-19. Agora, há novidades a ter em conta.

Além de ser obrigatório levar máscara para entrar numa das superfícies da insígnia, sabe-se que, a partir da próxima segunda-feira, dia 11 de maio, os horários mudam. Assim, as lojas Mercadona passam a abrir às 9h e a encerrar às 20h, todos os dias da semana, incluindo sábado e domingo.

Esta é uma situação excecional, pelo que tudo poderá mudar dependendo das circunstâncias.

Além disso, e tal como têm feitos outros concorrentes, a partir da próxima quinta-feira, dia 14 de maio, estarão à venda packs da marca própria Deliplus com 10 unidades máscaras higiénicas não reutilizáveis. O preço de venda é de 5,40€ por pack.

De resto, a Mercadona continua com diversos processos diários de desinfeção e limpeza das instalações.

- Publicidade -

Parceiros

Relacionados

Mercadona cria novo armazém na Póvoa de Varzim para armazenar frutas e legumes

O novo espaço passa também a albergar a área dedicada à gestão de caixas reutilizáveis e de uso único.

Mercadona pondera abrir loja em Caldas da Rainha

O grupo espanhol já terá sondado a autarquia, de modo a perceber a recetividade.

Mercadona está a contratar para a futura loja de Viseu

Querem começar o ano da melhor forma? De preferência com um novo emprego? A Mercadona pode ajudar-vos.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Bird faz melhor que a Link e oferece viagens no dia de voto

São oferecidas duas viagens de 15 minutos cada.

Hotel Casino Chaves tem o único posto de carregamento ultra rápido universal de Trás-os-Montes

O Hotel Casino Chaves torna-se assim numa unidade mais completa com a parceria feita com a Power Dot Portugal.

Igreja de Bragança com estatuto de monumento foi vendida para pagar dívida a empreiteiro

A igreja foi a leilão como “espaço dedicado ao culto da religião católica”.