Mercadão faz entregas do Pingo Doce em cada vez mais cidades

O Mercadão aposta com força no Projeto Expansão 2020.

Mercadão do Pingo Doce
- Publicidade -

Para evitar a aglomeração nos supermercados, nas zonas onde haverá maior concentração de pessoas durante os meses de julho e agosto, o Mercadão aposta com força no Projeto Expansão 2020.

Tal significa que, de momento, o serviço já disponibiliza entregas rápidas do Pingo Doce em mais de 24 zonas litorais.

Além do Algarve – desde Lagos até Vila Real de Santo António –, outras 24 zonas litorais portuguesas passam a ser abrangidas pelo serviço. Entre os mais de 850 quilómetros à beira-mar, de Norte a Sul de Portugal, destacam-se as zonas de Vila Nova de Cerveira, Moledo, Caminha, Viana do Castelo, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Leça da Palmeira, Matosinhos, Vila Nova de Gaia, Espinho, Esmoriz, Cortegaça, Gafanha da Boa Hora, Marinha Grande, Nazaré, Caldas da Rainha, Sintra, Cascais, Costa da Caparica, Sesimbra, Setúbal, Tróia e Comporta.

A partir da próxima semana, o serviço estará disponível, também, na Figueira da Foz. Entretanto, e para que as entregas aconteçam sem problemas, foram contratados mais 50 shoppers para assegurar a recolha e entrega de produtos.

- Publicidade -

Parceiros

Relacionados

Pingo Doce chega pela primeira vez aos Açores

O sortido do espaço conta com muitos produtos regionais, fruto das parcerias feitas com 129 fornecedores dos Açores.

Glovo adquire o Mercadão

Esta aquisição vai fortalecer a oferta da Glovo, com um foco maior em compras semanais e planeadas.

A nova app Pingo Doce permite ter o Cartão Poupa Mais no smartphone

Descubram as novas funcionalidades que vos ajudam a poupar e a organizar o dia-a-dia.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Pingo Doce chega pela primeira vez aos Açores

O sortido do espaço conta com muitos produtos regionais, fruto das parcerias feitas com 129 fornecedores dos Açores.

Continente abre primeira loja em Gouveia

Continua a expansão da marca da Sonae.

Lagoa dos Salgados será classificada como área protegida de âmbito nacional

Há 21 anos que, em Portugal, não era classificada nenhuma área protegida de interesse nacional.