Os mechs chegaram a No Man’s Sky

- Publicidade -

No Man’s Sky, um dos jogos mais controversos da geração, continua a receber atualizações incríveis que tornam o seu estranho lançamento numa memória muito distante.

Depois de nos levar aos oceanos de planetas distantes, apresentar novos biomas, histórias, sessões multijogador e comunitárias, novas perspetivas e veículos e, mais recentemente, naves vivas, chega agora uma atualização que inclui mechs.

Estes mechs, ou robôs pilotáveis, da expansão Exo Mech, são uma nova classe de veículos que vão ajudar os exploradores a navegarem por planetas mais inóspitos em busca de recursos para os seus objetivos.

Chamados Minotaurs, estes mechs contam com sistemas de recolha de recursos e de manipulação de terreno, jetpacks para saltos elevados e um interior imersivo e detalhado para usar na primeira pessoa e em VR, via Steam VR e PS VR.

Além destas novidades de destaque, esta expansão gratuita inclui muitas atualizações para os restantes veiculos, melhorias gráficas para consolas e PC, ajuste de mecânicas na construção de bases e criação de redes elétricas e muito mais.

O update 2.4 Exo Mech já está disponível em No Man’s Sky para PC, PlayStation 4 e Xbox One.

- Publicidade -
- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

No Man’s Sky com mais uma atualização dedicada a fragatas

O universo de No Man’s Sky não para de expandir.

No Man’s Sky recebe piratas e naves que se transformam na mais recente expansão

Há mais uma expansão cheia de conteúdos e novas formas de jogar no infame No Man’s Sky.

Novo passatempo tem um total de 36 consolas PlayStation 5 para oferecer

Basta mostrarem o vosso break favorito com KitKat.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Vila Galé em Tomar deverá estar pronto até novembro de 2023

E será uma unidade hoteleira de cinco estrelas.

Arcade Fire no Campo Pequeno – A música vence sempre?

A banda canadiana recordou-nos que é obreira de alguma da melhor música das últimas duas décadas. O resto? Pois, o resto logo se verá.