MATRICS: Esta é a nova marca de gaming nacional

Apesar de os produtos serem fabricados na Ásia, é em Portugal, com uma equipa especializada, que é feito um controlo de qualidade, onde se processam as fases de design, conceção, especificação, testes e validação do protótipo desenvolvido. É assim que funciona a MATRICS, a nova marca de gaming nacional.

- Publicidade -

A MATRICS foi lançada oficialmente no evento Moche XL eSports, disponibilizando uma gama transversal de produtos de gaming. O objetivo desta marca de gaming detida pela Interplay Lda. é de, numa fase inicial,focar-se nos gamers nacionais e fortalecer-se no mercado português.

Mas afinal quais são mesmos os produtos que a MATRICS vende?

Indo ao site oficial, na categoria Produtos, reparamos que se divide em outras cinco categorias: Teclados, headsets, ratos, cadeiras, monitores e tapetes do rato. A marca não tem uma loja online, pelo que, neste momento, se quiserem adquirir os produtos, terão de comprar na MediaMarkt, PCDIGA e MEO.

Destes produtos, podemos destacar, por exemplo, a cadeira Throne, revestida a pele com elevador classe 4 e braços ajustáveis em quatro sentidos, além de se reclinar a 180º.



Para complementar, sugere-se o monitor GM24, com apenas 1 microssegundo de tempo de resposta. E depois temos também teclados mecânicos como o Phantom, com switch ótico.

A aposta da MATRICS compreende-se perfeitamente. Afinal, no ano passado, segundo estimativas da Newzoo, o mercado do gaming em Portugal valia cerca de 265 milhões de euros. A marca não terá, porém, tarefa fácil. Os concorrentes de peso Razer, ASUS, HP e afins prometem não se deixar afetar.

Resta à MATRICS ter duas coisas fundamentais: bons produtos e preços adequados. Cá estaremos para os testar e comprovar se é mesmo assim.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,987FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
784SeguidoresSeguir

Parceiros

Relacionados

Crítica – Lost Words: Beyond the Page (PlayStation 4)

Um jogo narrativo que nos traz uma viagem pessoal e muito emocional de uma jovem que escreve a sua aventura fantástica.

Análise – Pine (PlayStation 4)

Uma aventura assente na liberdade que precisava de menos ambição e mais conteúdos.

Russ de regresso a Portugal em 2022

O rapper norte-americano vai atuar na Altice Arena, em Lisboa.

Oficial: Fórmula 1 regressa a Portugal este ano

Novamente no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Análise – Narita Boy (PlayStation 4)

Viajem para o mundo cibernético neste jogo de ação e aventura centrado num rapaz que é transportado para um videojogo.

Crítica – Thunder Force

Thunder Force é mais uma peça de storytelling sem sentido e absurda de Ben Falcone, caraterizada por um humor insuportavelmente seco e forçado, para além de uma história facilmente esquecível.

Scribd oferece acesso gratuito à MUBI, CONtv e CuriosityStream

Volta a oferta da Scribd, desta vez ainda com mais motivos para aproveitar.