Começa em abril mais uma Festa do Cinema Italiano

por Echo Boomer

Lisboa (5 a 14 de abril), Coimbra (9 a 1 de abril), Almada (10 a 13 de abril), Porto (10 a 14 de abril), Setúbal (11 a 14 de abril), Alverca do Ribatejo (12 a 13 de abril), Penafiel (13 a 14 de abril), Moscavide (13 e 14 de abril), Aveiro (15 a 16 de abril), Viseu (1 a 1 de maio), Abrantes (1, 8 e 15 de maio), Beja (7 a 9 de maio), Caldas da Rainha (8 a 10 de maio), Évora (14 a 17 de maio), Tomar (14 a 18 de maio) e Loulé (23 a 26 de maio).

São estas, para já, as cidades que irão receber nas datas enunciadas os filmes da 12ª Festa do Cinema Italiano. São mais de 60 filmes, seis deles em antestreia nacional, e mais de 15 cidades portuguesas que participam na iniciativa.

Este ano, o festival presta homenagem, em colaboração com a Cinemateca Portuguesa, a Nanni Moretti, com uma retrospetiva completa de longas-metragens e uma seleção de curtas-metragens do realizador. Uma oportunidade para ver em sala grandes sucessos estreados nos cinemas portugueses mas também obras inéditas no nosso país, nomeadamente algumas curtas-metragens e documentários, incluindo a antestreia nacional do seu último filme, Santiago, Italia.

Na sessão de abertura, estará, em antestreia, o último trabalho de Paolo Virzì, Notti magiche (Noites Mágicas), um filme sobre a passagem que o cinema italiano viveu no princípio dos anos 1990 quando a época dos grandes mestres estava a concluir-se e uma nova leva de autores, ainda sem muita experiência, recebia esta pesada responsabilidade.

Já a sessão de encerramento fica a cargo de Euforia, de Valeria Golino, filme apresentado no último festival de Cannes, uma sensível reflexão sobre o amor e o respeito entre dois irmãos tão diferentes quanto próximos nas adversidades da vida.



Pelo meio destacam-se Il primo re, de Matteo Rovere, uma das maiores produções italianas, La paranza dei bambini (Piranhas – Os meninos da Camorra), de Claudio Giovannesi, em antestreia nacional, ou a exibição da versão original dividida em duas partes do último filme de Paolo Sorrentino sobre a vida de Silvio Berlusconi (Loro 1 e Loro 2). Esta versão integral é inédita em Portugal.

Em competição estarão sete obras, o que demonstra, mais uma vez, o bom estado de saúde da nossa cinematografia.

Vão existir ainda sessões especiais e eventos paralelos, sendo que a música tem um destaque particular nesta edição da Festa. Em estreia absoluta, é apresentada a última composição de Pedro Teixeira da Silva, primeiro violino da orquestra do Teatro São Carlos e fundador da banda Os Corvos, que leva ao Cinema São Jorge 4 Canções Italianas, músicas para piano e soprano – Cristiana Oliveira – inspiradas em quatro poemas italianos.

A não esquecer ainda a gastronomia, que, este ano, apresenta algumas novidades: este ano, o já tradicional Cine-Jantar transforma-se: são quatro jantares e realiza-se, pela primeira vez, num cinema: os jantares são no bar/restaurante do Cinema São Jorge seguido de filme na Sala Manoel de Oliveira, uma conversa em torno da comida e aperitivos com concertos todos dedicados à música italiana.



Quanto a preços, em Lisboa os bilhetes custam 4,5€ (bilhete normal) e 3,5€ (<25 >65 anos), no Cinema São Jorge e Cinemas UCI – El Corte Inglés e 3,20€ na Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema. Há ainda cadernetas de vouchers à venda com packs de 5 e 10 bilhetes.

Todas as novidades e informações sobre a programação do festival podem ser acompanhadas no site oficial.

Também pode interessar

Deixar uma resposta

O Echo Boomer utiliza cookies para dar a melhor experiência possível aos nossos leitores. Aceitar Ler mais

%d bloggers like this: