Lola Marsh, IAN e Lena D’Água e Primeira Dama com Banda Xita confirmados no Super Bock em Stock

A menos de dois meses do Super Bock em Stock, há mais três propostas capazes de conquistar, pela novidade e pela diversidade, o público do festival que, nos dias 23 e 24 de novembro chega à Avenida da Liberdade, em Lisboa: a dupla Lola Marsh, a sempre surpreendente Lena d’Água em duo com Primeira Dama acompanhados da Banda Xita e IAN.

- Publicidade -

Yeal Soshana Cohen nem sequer conhecia o seu futuro colega de banda, Gil Landau, quando apareceu na sua festa de aniversário, em Tel Aviv. Do canto da sala, Yael viu Gil a pegar na guitarra e sentiu que devia acrescentar a sua voz àquele momento. Assim nasceu a dupla Lola Marsh. No início de 2016, surgiu o EP de estreia, You’re Mine. O seu indie pop irresistível, fez com que crescessem em pouco tempo, primeiro online e depois ao vivo, com concertos na América do Norte e na Europa. O álbum de estreia, Remember Roses, foi editado no verão de 2017 e veio confirmar o talento da banda.

Em Janeiro de 2018, na Galeria Zé dos Bois, em Lisboa, Primeira Dama e Lena d’Água revisitaram o cancioneiro um do outro, acompanhados por músicos recrutados ao coletivo Xita Records. O fresco repertório de Histórias por Contar e Primeira Dama, discos editados por Primeira Dama nos anos de 2016 e 2017, juntaram-se aos clássicos de sempre de Lena d’Água, num concerto que arrebatou o público presente na sala. Para este concerto no Super Bock em Stock, Lena d’Água apresenta-se acompanhada com a Banda Xita, Inês Matos (guitarra), António Queiroz (baixo), João Raposo (teclas, voz e eletrónica) e Martim Brito (bateria), capitaneada por Manuel Lourenço, mais conhecido como Primeira Dama (nas teclas e voz), uma das figuras emergentes na música portuguesa.

IAN – Seguir em frente – este é o mote da segunda investida do projeto IAN, espelhado nos três temas que ilustram o EP mais recente. O fio condutor é “Spring or Desire” (com o rapper Twezzy) que, tal como a estação do ano, anuncia um redescobrir de sentimentos, de vontades e também do prazer de arriscar. “Stop Stop Never” vinca ainda com mais fervor a estética eletrónica dominante deste projeto, e é um anunciar de intenções, um grito pessoal que não pede desculpa pelo atrevimento de afirmar que desistir nunca é opção. E em “No Name” fala sobre os outros, sobre nós, sobre caminhos que, embora se cruzem, nem sempre convergem.

O bilhete único válido para os dois dias do festival encontra-se à venda nos locais habituais, pelo preço de 45€, passando a 50€ nos dias do festival.

Já confirmados: Birds Are Indie, Cavalheiro, Charles Watson, Conan Osiris, Conner Youngblood, Elvis Perkins, Éme, Holly Miranda, IAN, Iguanas, Johnny Marr, Jungle, Lena d’Água e Primeira Dama com a Banda Xita, Lola Marsh, Nakhane, Masego, Natalie Prass, Rejjie Snow, Still Corners, The Harpoonist and the Axe Murderer, The Saxophones, Tim Bernardes e U.S. Girls.


 

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Música – Álbuns essenciais (janeiro 2022)

A primeira seleção de 2022 está aí e já temos um forte candidato a álbum do ano!

Festival Afro Nation anuncia novos nomes, entre os quais Chris Brown

A pré-venda dos bilhetes começa dia 27 de janeiro.

Ouve aqui o tema principal de The Batman

Michael Giacchino revela ao mundo a sua versão do tema do Batman.

Os 50 melhores álbuns de 2021

Após um 2020 que obrigou todo o mundo a ficar por casa, tinha a esperança que isso trouxesse muita diversidade de álbuns de qualidade. A minha intuição estava correcta, de facto!
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Microfone Fifine K658 – O go-to se queres começar no mundo do streaming ou podcasts

É o microfone que precisas para fazer o teu podcast andar para a frente, até porque de lado não capta bem o áudio.

Setúbal vai ganhar, em breve, mais de 2500 lugares de estacionamento gratuito

Uma cidade que bem precisa, tendo em conta a quantidade de parquímetros existentes.