Mais de metade dos jovens portugueses LGBT+ não tem coragem de se assumir no local de trabalho

Mais de metade (51%) dos jovens portugueses LGBT+ não assume a sua orientação sexual no local de trabalho porque tem medo de ser discriminado por parte das chefias e/ou colegas. A par disso, mais de um terço (37%) admite que “voltou ao armário” quando entrou para o seu primeiro emprego.

- Publicidade -

Estes dados são divulgados por um estudo realizado pela Out Now para a Vodafone, que contou com a participação de mais de três mil jovens LGBT+ em 15 países, incluindo Portugal.

O survey conduzido por esta organização especialista em temas LGBT+ concluiu que mais de um terço dos inquiridos portugueses (35%) não assumiu a sua orientação sexual à chefia direta no seu primeiro emprego. Os dados revelam, ainda, que 59% dos entrevistados portugueses não se assume, de todo, quando entra para o mercado de trabalho, mas à medida que se vão sentido mais confiantes na sua profissão, começam gradualmente a assumir a sua verdadeira identidade. Já na universidade, 44% dos inquiridos afirma que se assumiu perante a maioria dos seus colegas.

Outras conclusões do estudo em Portugal indicam que:

  • 76% dos Colaboradores LGBT+ já esconderam a sua orientação sexual no emprego pelo menos uma vez;
  • 57% dos inquiridos afirma que já disfarçou a sua orientação sexual no emprego mais do que uma vez;
  • 49% afirma que, no seu primeiro emprego, ouviu alguns comentários negativos acerca da comunidade LGBT+ e que isso os fez sentir desconfortáveis em assumir-se perante todos;
  • 31% sente que foi menos produtivo na sua função porque não se sentia à vontade para assumir a sua orientação sexual;
  • 20% afirma que assumir-se no local de trabalho foi ‘a coisa mais difícil que alguma vez fez’.

Vodafone cria programa para apoiar jovens LGBT+ no local de trabalho

Estes números, a par de testemunhos de Colaboradores LGBT+ de vários mercados onde a Vodafone opera, evidenciam a necessidade de as empresas desenvolverem programas de apoio focados neste tema, fomentando, assim, uma cultura corporativa em que todos podem ser livres e assumir a sua orientação sexual sem constrangimentos. É esta convicção que suporta o novo programa global da Vodafone – LGBT+ and Friends Connect.

O objetivo é recrutar e apoiar pessoas LGBT+ no seu primeiro emprego, assim como dotar as chefias de competências para conseguirem integrar da melhor forma estes profissionais nas suas equipas. O programa inclui um conjunto de iniciativas, tais como:

  • Programas de Graduates, integração e liderança para ajudar, atrair e reter Colaboradores LGBT+;
  • Conjunto de ferramentas para que as chefias fomentem um ambiente de trabalho inclusivo;
  • Um programa global de ‘Buddies’ para Graduates LGBT+;
  • Um Código de Conduta renovado e focado na inclusão de pessoas LGBT+;
  • Iniciativas que incentivam Colaboradores e chefias a tornarem-se aliados LGBT+;
  • Programas interativos para ser Embaixador LGBT+ certificado.
- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,987FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
785SeguidoresSeguir

Parceiros

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Mi Smart Band 6 está quase a chegar a Portugal

Vão poder encontrar a Mi Smart Band 6 ainda este mês nas lojas Mi Store Portugal ou, então, encomendar através do site oficial.

The Underground Railroad, de Barry Jenkins, ganha trailer oficial

The Underground Railroad é baseada no romance de Colson Whitehead, vencedor do prémio Pulitzer.