kevin. é uma nova fintech que chega a Portugal para competir com a Visa e Mastercard

Entra em Portugal para “perturbar o status quo e promover mais inovação no ecossistema de pagamentos”.

- Publicidade -

A kevin., uma startup de fintech que fornece uma infraestrutura de pagamento única para vendas online, móveis e físicas, anunciou formalmente hoje a sua chegada a Portugal. De acordo com o country manager ibérico, o português Rui Patraquim, a intenção é “perturbar o status quo e promover mais inovação no ecossistema de pagamentos”.

A kevin. desenvolveu uma solução avançada de infraestrutura de pagamento A2A [account-to-account], que permite redirecionar rapidamente pagamentos a partir dos dispendiosos pagamentos por cartão para pagamentos ligados diretamente às contas bancárias dos clientes.

“Atualmente, 95% dos bancos aqui em Portugal estão já ligados à nossa plataforma utilizando licenças de Serviços de Informação de Conta (AIS) ou de Serviços de Iniciação de Pagamentos (PIS)”, comentou Patraquim. “Até agora, os bancos, com os quais discutimos os nossos serviços, apoiam-nos porque, pela primeira vez em Portugal, se um consumidor quiser pagar online, pode efetivamente pagar diretamente a partir da aplicação bancária em que confia, sem comprometer quaisquer garantias de segurança. Isto poderá ajudar os bancos a otimizar melhor a experiência do utilizador quando utilizam a aplicação bancária, enquanto os clientes, por sua vez, têm mais opções de pagamento à sua escolha”.

Os pagamentos POS (pontos de venda) da kevin. permitirão aos clientes, pela primeira vez, pagar sem problemas mercadorias em lojas físicas a partir das suas contas bancárias através de terminais de cartões existentes utilizando tecnologia NFC, enquanto os comerciantes poderão evitar as redes de cartões e poupar muito nas taxas de transação.

A sua infraestrutura de pagamento baseia-se na “banca aberta” – (“open banking”, regulamentada pela Diretiva Europeia PSD2). Embora esta exija que todos os bancos e instituições financeiras abram as suas API para fornecedores terceiros licenciados, a kevin. desenvolveu, com especialistas internos, as suas próprias ligações aos bancos sem utilizar agregadores de terceiros, de forma a garantir transações seguras e sem problemas.

Antes do final do ano, a kevin. pretende aumentar as equipas locais de vendas e desenvolvimento de negócios para atrair novos comerciantes e aumentar significativamente o número de transações em pagamentos A2A. Quanto a 2022, os planos da empresa são ainda mais ambiciosos.

Na verdade, no próximo ano, o objetivo principal da kevin. é ser o terceiro método preferido em Portugal no comércio eletrónico e nos pagamentos em aplicações.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Impressão digital nos cartões de crédito – FinTech em 2021

A tecnologia financeira, ou FinTech, está a acelerar os efeitos positivos no sector financeiro. A Samsung anunciou a 4 de março que vai lançar um cartão de crédito com um leitor de impressão digital integrado. Quais serão as próximas inovações em 2021?

Revolut chegou à versão 7.0 com nova interface

Diz a Revolut que é "um último passo na jornada para nos tornarmos uma super app financeira". Na verdade, a...

Depois do Reino Unido, Revolut Junior fica disponível em Portugal

Este lançamento surge dois meses depois de ter estreado no Reino Unido.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Não haverá festas de passagem de ano no Algarve

E foram também canceladas várias iniciativas que integravam a programação de Natal.

Análise – Sony Pulse 3D Midnight Black

Fez no passado mês de novembro um ano desde que a PlayStation 5 chegou ao mercado. Com ela vieram também os primeiros acessórios, entre eles os Sony Pulse 3D, que recentemente tiveram um “relançamento” numa nova cor.