fbpx

Izzy Move é a aplicação para taxistas que vem concorrer com a Uber e afins

Depois da Uber, Cabify, Bolt e Kapten, eis que foi apresentada em Lisboa uma nova plataforma de transporte de passageiros ao mercado, mas orientada para um setor tão conhecido em Portugal – o dos táxis. Chama-se Izzy Move, foi criada pela Associação Nacional de Transporte Rodoviário em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) e um parceiro tecnológico, e chega agora a um total de 26 concelhos.

A Izzy Move necessitou de um investimento de 400 mil euros por parte da ANTRAL e “dez rádio táxis”, sendo que o Governo vai contribuir com mais 100 mil euros. Em breve, o serviço irá chegar ao Porto, Oeiras e Algarve. Até ao final de abril estarão à disposição 3 mil táxis.

Basicamente, a Izzy Move pretende chegar aos mais jovens, habituados hoje em dia a chamar um serviço de transporte através do smartphone.

Segundo Florêncio de Almeida, presidente da ANTRAL, esta é “a primeira aplicação de âmbito nacional”.



“É a única presente em Portugal 24 horas por dia, 365 dias por ano, é possível reservar qualquer táxi, até os táxis executivos”, afirmou o responsável.

Qualquer taxista poderá associar-se à plataforma, mesmo que trabalhem com a MyTaxi. Poderão utilizar ambas as apps sem qualquer problema. Para a Izzy Move, é cobrado um custo de 0,40€ cêntimos por serviço, “um custo irrisório para manter a plataforma em funcionamento”. Se vier a ter rentabilidade, esse custo deverá baixar, garante Florêncio de Almeida.

Ao ser a primeira aplicação do género de âmbito nacional, “tem um suporte de call center 24 horas por dias todos os dias por ano”.

O funcionamento da app é simples, ao nível do que estamos habituados nas outras plataformas. Basta fazer download da aplicação (disponível para Android e iOS) e indicar o destino para ficarmos logo a conhecer o preço. Depois podemos indicar como queremos pagar, se diretamente na app ou em dinheiro/multibanco/cartão de crédito no táxi, definir se levamos uma mala grande ou se necessitamos de Wi-Fi, assim como escolher a categoria de táxi – simples, XL ou executivo.

Depois, assim que a notificação de pedido de viagem chegar ao taxista, este pode aceitar ou recusar. Aceitando, deverá indicar o tempo que demorará até chegar junto do cliente. E assim que chegar, o cliente recebe uma mensagem.

É, porém, na altura do pagamento que as coisas funcionam de forma diferente. É o próprio taxista que introduz o valor final da viagem na app, consoante o valor apresentado no taxímetro.



Terminada a viagem, o cliente poderá avaliar o motorista (pontuação de uma a cinco estrelas), além de comentar a qualidade do serviço, se assim o desejar.

Adicionalmente, estará disponível um fardamente para os taxistas, totalmente opcional, e que deverá custar, no máximo, 20€. Este kit inclui um fato, blusão, parka, camisa, colete, gravata e sapatos. Além de marcar a diferença no modo de vestir dos taxistas, este kit deverá ter sensores de localização, além de conseguirem monitorizar algumas funções vitais dos motoristas, como o ritmo cardíaco, a temperatura exterior do corpo e até a transpiração.

- Publicidade -

Afiliados

Sigam-nos

10,779FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
629SeguidoresSeguir

Media Partner

Relacionados

APMobi, a associação que quer modernizar o setor do táxi

É a terceira associação que vai representar os taxistas em Portugal. Chama-se APMobi - Associação Portuguesa para a Mobilidade...
- Publicidade -

Mais Recentes

Domino’s Pizza chegou a Leiria

A marca continua a sua expansão por Portugal.

Alain Afflelou lança óculos de sol fabricados com plásticos retirados do oceano

Em cada par de óculos H2O foram utilizadas cinco garrafas de plástico recuperado do oceano.

Turismo de Lisboa apresenta a nova rota de Arte Urbana

Lisboa foi escolhida por muitos artistas portugueses e internacionais para ser a sua tela.