Houseparty nega acusações de fraude: “Todas as contas estão seguras”

É uma das apps do momento, mas está também envolvida numa grande e recente polémica. Estão a surgir milhares de reclamações nas redes sociais de utilizadores que têm esta app instalada, alegando que as suas contas, em serviços como a Netflix ou Spotify, estão a ser pirateadas. Há ainda quem fale em roubos monetários de valores consideráveis.

- Publicidade -

Vamos por partes. A Houseparty é uma app norte-americana criada em 2016, cujo objetivo é o de fazer videochamadas com alguém, ao mesmo tempo que se jogam vários jogos. Devido ao isolamento social, esta app, que foi adquirida em meados do ano passado pela Epic Games, saltou para os tops das mais descarregadas do país nas lojas digitais da Apple e Google.

Houseparty

Ora, esta segunda-feira, e sem nada que o fizesse prever, começaram a surgir milhares de mensagens nas redes sociais, com especial foco na Twitter, alegado que a Houseparty é, na verdade, uma fraude. Há relatos de utilizadores que viram as suas contas de Spotify, Netflix, Facebook, PayPal ou Uber invadidas (muitos deles referem logins feitos a partir de países como a Rússia ou Polónia), e o Echo Boomer sabe da existência de um caso de um utilizador português que foi roubado em 1500€, mas sem que se garanta, de facto, que a culpa é da Houseparty.

“A todas as pessoas que têm a app Houseparty: Há pessoas a ser roubadas, entram nas contas bancárias delas através da app do banco, entram nas outras contas que tiverem, inclusive entram no telemóvel através da app. Apaguem a conta e apaguem a app!”, diz uma mensagem publicada naquela rede social e que também foi republicada no WhatsApp.

Entretanto, e via Twitter, a empresa garantiu que os dados não foram comprometidos: “Todas as contas da Houseparty são seguras — o serviço é seguro, nunca foi comprometido e não recolhe palavras-passe para outros sites”, diz a mensagem partilhada pela empresa.

Contudo, e apesar de recolher bastantes dados dos utilizadores (tal como acontece com outras redes sociais), não existem indícios de que, de facto, a app esteja comprometida. Pelo menos os responsáveis não o admitem até ao dia de hoje.

De resto, basta-nos esperar por novos desenvolvimentos. Em todo o caso, podem sempre desinstalar a app por via das dúvidas, e não se esqueçam de verificar os início de sessão das vossas contas. Em altura de quarentena, alguém pode perfeitamente dedicar-se a novos esquemas, pelo que tenham em atenção as vossas definições de privacidade.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Depois de oferecer casas, Lidl vai dar descontos em produtos diariamente através da app

Todos os dias até ao natal, terão um cupão presente para ativarem na app Lidl Plus.

App da Via Verde já permite o acesso a mais de dois mil pontos de carregamento elétricos em Portugal

A Via Verde Electric é a nova solução digital para aceder a qualquer ponto da rede pública de carregamentos elétricos em Portugal.

Portugueses desenvolveram tecnologia para exploração autónoma das profundezas do oceano

Algo que vai ajudar a reduzir os custos e a ter acesso a novos dados muito mais rapidamente.

Huawei quer voltar a ser líder no segmento dos smartphones em Portugal

Mas sem os Google Mobile Services vai ser complicado.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Sines recebe investimento de 80 milhões para produção de salmão e bacalhau

A construção do projeto deve arrancar no último trimestre de 2022.

Governo diz que voos da SATA para os Açores não estão em risco de ser suprimidos

Desmentindo, assim, uma notícia avançada pelo Expresso.

Grupo B&B Hotels abre hotel em Guimarães ainda este ano

Um hotel de três estrelas com capacidade para 95 quartos. Hoje, dia 28 de janeiro, a parceria Casais - Sunny...