Hands-On – Nokia 8 é a afirmação de que a marca está de volta

Chama-se Nokia 8, foi ontem lançado em Portugal e é a nova aposta da startup finlandesa HMD Global no segmento dos smartphones topo de gama.

- Publicidade -

A convite da HMD Global, o Echo Boomer esteve presente no evento de apresentação do novíssimo Nokia 8, e pôde conhecer ao pormenor o dispositivo, que tentará combater com os concorrentes de outras marcas no mercado, com o objetivo de, a médio prazo, colocar a marca Nokia novamente nas bocas do mundo.

Em apresentação aos jornalistas, Luís Peixe, Country Manager da HMD Global Iberia, começou por “ressalvar a importância do Nokia 3310”, confessando que não esperavam o “sucesso” do ressurgimento do popular dispositivo.

A HMD, criada a 1 de dezembro, é uma startup com apenas nove meses de existência e foi a responsável pelo retomar da marca Nokia no mercado. Tendo já nas lojas o referido Nokia 3310 e os Nokia 3, Nokia 5 e Nokia 6, é hora de atingir um novo patamar com o lançamento do Nokia 8.

O dispositivo contém os cinco pilares que os consumidores procuram num smartphone Nokia: qualidade, simplicidade, durabilidade, design distintivo e humanidade. É um equipamento com Android “puro” e que conta com características de destaque, como lentes Zeiss, numa parceria estabelecida há cerca de um mês, que fez com que o Nokia 8 fosse o primeiro dispositivo da marca a contar com estas lentes, e que marca a reunião das duas marcas que trabalharam juntas em dispositivos da “antiga” Nokia.

O Nokia 8 apresenta-se com um design elegante e muito cuidado, tem uma espessura de 7,9 milímetros, tornando-o fácil de utilizar com apenas uma mão. Quando lhe pegámos, ficámos surpreendidos com o toque que sentimos nas mãos, além da agradável surpresa em relação ao peso. É um equipamento muito leve (160 gramas), mas que prende facilmente na mão. Não há aquele risco de o equipamento deslizar da mão.

O ecrã é um QHD de 5,3 polegadas e tem vidro Corning Gorilla Glass 5, para uma maior durabilidade. Aliás, a marca Nokia sempre foi conhecida pelos seus equipamentos resistentes, e isso foi algo que a HMD não quis perder. Portanto, caso tenhas o azar de deixar cair o equipamento ao chão, mesmo com o ecrã virado para baixo, a probabilidade de danificares o smartphone à séria é bastante reduzido. Além deste ecrã, o dispositivo é resistente à água, para alguma queda indesejada.

A experiência de ter o Android “puro” (vem com o Android Nougat 7.1.1), isto é, sem apps pré-instaladas pela fabricante (bloatware). Este é outro ponto positivo do novo topo de gama da Nokia. Na nossa experiência, todo o processo correu com total fluidez, sem qualquer tipo de solavanco. Para isto também ajuda o processador octa-core Qualcomm Snapdragon 835 e os 4GB de RAM.

Outra particularidade que o terminal pretende destacar é a tecnologia OZO Audio, usada por muitas produções em Hollywood. Basicamente, trata-se de um sistema que usa três microfones para capturar áudio com som espacial em 360 graus, o que, na prática, capta todos os sons exatamente de onde vêm, podendo ser reproduzido com esta ilusão realista. Não conseguimos testar esta tecnologia ao pormenor, pelo que a análise deste aspeto em particular ficará reservada para quando recebermos o equipamento para análise.

Já as câmaras com lentes Zeiss serão um dos pontos chave deste Nokia 8. Tendo como pano de fundo o Cais do Sodré, pudemos constatar a boa qualidade das câmaras, apresentando sempre uma imagem limpa. Tanto as lentes traseiras como a frontal são da responsabilidade da Zeiss e contêm 13MP. Ficámos também bastante agradados com os resultados da câmara frontal, que promete concorrer no título de melhor câmara frontal do mercado.

No entanto, o grande destaque aqui vai para a capacidade de usar a câmara frontal e traseira em simultâneo, cujo resultado final a Nokia gosta de chamar de #Bothies, uma adaptação das muito acarinhadas #selfies. O lema da Nokia é “menos selfies, mais bothies.” Esta capacidade de tirar fotografias com ambas as câmaras em simultâneo não é propriamente uma novidade, havendo aplicações como a Frontback para Android para esse efeito. Todavia,  destaque aqui vai para o facto de ser uma característica que vem incluída nativamente com o este smartphone, tirando partido das suas capacidades para produzir as melhores imagens possíveis.

Há ainda a capacidade de fazer vídeos 4K e até fazer streaming para o Facebook e Youtube com estes recursos. Esta novidade é algo que poderá tornar-se uma norma em dispositivos futuros e que demonstra ser extremamente relevante para nativos digitais e para a cultura das reações, dando a cara a quem está atrás da câmara.

nokia 8 echoboomer

O Nokia 8 não se apresenta apenas como o topo de gama desta nova Nokia que pretende concorrer diretamente com Samsung Galaxys, iPhones e Huaweis, mas também como uma afirmação da marca a dizer que está de volta. É um exemplo do que, em breve, poderemos ter em dispositivos de média e de baixa gama com a qualidade e humanidade que nos lembramos da Nokia. E mesmo sem saber o que nos reserva, não podíamos ficar mais contentes.

O Nokia 8, já se encontra à venda por 599€ nos locais habituais e na loja online da marca.

Segue-nos nas redes sociais no FacebookTwitter e Instagram.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,987FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
784SeguidoresSeguir

Parceiros

Relacionados

O fim da atual temporada de Fortnite vai ter uma experiência a solo

A conclusão da sexta temporada do segundo capítulo promete.

Os The Game Awards 2020 acontecem hoje. Espreita onde assistir

Celebra os melhores jogado, noite dentro.

Festival Termómetro adiado para 2021

Em breve serão reveladas as novas datas.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Chegou o primeiro gin de flor de cânhamo português

A par do gin, a marca O Benefício lança também os seus primeiros NFTs numa peça visual musical de 700 segundos.

Este e-book vai ajudar a escolher uma licenciatura

Procuram um curso para construir uma carreira de sonho? Então é melhor terem uma ajudinha.

miio Pay. Nova funcionalidade permite pagamentos ocasionais, sem contrato, para o carregamento de veículos elétricos na rede pública

Ou seja, não pressupõe a existência de um cartão de carregamento físico, de um contrato ou a adesão a um serviço.