Fórmula 1 – Grande Prémio da Hungria fica para a história graças a um Alpine e a um Mercedes

A Fórmula 1 esteve de volta para mais um Grande Prémio antes da pausa de verão. E que corrida que foi. O Grande Prémio da Hungria fica marcado por uma primeira volta cujos acontecimentos, proporcionados em grande parte pelo Mercedes nº 77, conseguiram meter cinco pilotos de fora, mas também pela vitória de Esteban Ocon e ainda por termos não um, mas dois carros da Williams nos pontos.

Com chuva no horizonte, mas também na pista, as estratégias das equipas tiveram que ser alteradas e os intermédios estavam calçados para começar a primeira das 70 voltas para o Grande Prémio da Hungria em 2021. As luzes apagam-se e os carros começam a acelerar em direção à primeira curva, Valtteri Bottas não teve o melhor arranque e depressa é passado por Lando Norris antes de chegar à curva 1. Os carros a borrifar água para quem vem atrás, um travar tarde de mais no aproximar dessa curva, um lock nessa mesma travagem: todos estes eventos levaram o finlandês da Mercedes a abalroar Lando Norris que, por sua vez, e em conjunto com Bottas, conseguiu levar os dois Red Bull para fora da pista.

- Publicidade -

Devido a toda esta confusão, Lance Stroll e Charles Leclerc acabaram por embater (Leclerc foi abalroado por Stroll, vá) também e Lewis Hamilton, que seguia na frente, conseguiu escapar ileso, seguindo de Esteban Ocon e Sebastian Vettel, que passaram nos “pingos da chuva” e estavam agora no top 3 numa primeira volta onde Nicholas Latifi e George Russell, da Williams, subiram para P6 e P8, respetivamente.

Resumindo, depois de Bottas ter levado Norris a ser uma autêntica bola de bowling e os Red Bull os pinos, estávamos com bandeira vermelha e o resultado de tal bandeira vermelha era o seguinte a nível de DNFs (pilotos que já estavam de fora): Valtteri Bottas, Charles Leclerc, Lance Stroll, Sergio Pérez, Lando Norris (problemas no carro depois do acidente fizeram com que o britânico já não recomeçasse a corrida). Mas procurem os melhores momentos da corrida e vejam esta imagem:

Grande Prémio da Hungria
Imagem: formula1.com

Nova partida depois da bandeira vermelha e Lewis Hamilton é o único piloto que está na grelha de partida, já que todos os outros decidiram trocar para pneus “slick” devido ao facto de a pista estar muito mais seca do que aquilo que estava quando a corrida teve o seu início. Um erro da Mercedes que levou Hamilton a ter que parar, para trocar de pneus, no fim da volta de partida e descer assim para P15… a última posição.

Depressa passou para P14, já que Nikita Mazepin viu o seu Haas a levar com um Alfa Romeo, o de Kimi Räikkönen. Penalização para o Alfa Romeo e mais um carro de fora, o Haas. Restam 14 pilotos. Ocon está na frente, seguido de Vettel. Latifi – sim, o da Williams – está em terceiro lugar na volta 8 deste Grande Prémio da Hungria.

Se depressa saltarmos para a volta 19, conseguimos ver que Latifi continua em P3 e que vai a estancar o avanço de pilotos como Carlos Sainz Jr., por exemplo, que está em P5. Digo que ia a estancar porque os dois da frente estavam a agora com um avanço de 12 segundos para o piloto da Williams enquanto que Yuki Tsunoda, no seu Alpha Tauri, há muito tempo que tentava subir a um dos lugares do pódio, mas sem sorte neste circuito que tem por hábito dificultar as ultrapassagens. Mas calma. Depois de toda a confusão que foi a partida e o recomeço da corrida, estava agora para chegar o momento que levava à mudança da corrida para ambos os pilotos que lutam pelo título de campeão do mundo: Lewis Hamilton e Max Verstappen.

Hamilton pára para trocar para pneus duros. Faz a paragem na tentativa de conseguir o undercut, mas a Red Bull, atenta, faz com que Max pare também na volta seguinte para tentar evitar tal undercut. Com Max pára também o McLaren Mercedes de Daniel Ricciardo. A equipa com fábrica em Milton Keynes até estava atenta, mas a verdade é que Lewis Hamilton consegue mesmo o undercut e passa não só Max Verstappen, mas também Daniel Ricciardo, e está agora em P9, com Ricciardo e Max a ficarem-se por P11 e P12, respetivamente.

Os da frente ainda não pararam. Vettel continua a perseguir Ocon e os Williams estão agora em P8 e P10. Pierre Gasly é entretanto o primeiro dos cinco da frente a parar e volta à pista em P8. Por esta altura, Hamilton já está em P6… perdão, P5, já que depressa passou Tsunoda. Ainda Hamilton não tinha acabado a ultrapassagem ao Alpha Tauri e já o Ferrari de Carlos Sainz Jr. estava a parar nas boxes, uma vez que o espanhol não queria ser o próximo carro a ser vítima de um undercut se parasse tarde demais.

Grande Prémio da Hungria
Imagem: formula1.com

Neste momento estão dois Alpine e um Aston Martin no top 3 do Grande Prémio da Hungria e Russell leva o seu Williams até P9 após ultrapassar Mick Schumacher, que depressa vê o McLaren de Ricciardo a passar também, duas ultrapassagens interessantes já que o antigo campeão de F2 deu luta na tentativa de manter um Haas nos pontos.

Está na altura: Vettel pára. A paragem corre mal, demorou 3.3 segundos. Volta seguinte e pára Ocon, a paragem corre melhor: demorou 2.3 segundos. O líder da corrida passou agora a ser Fernando Alonso, seguindo de Esteban Ocon e logo, mas mesmo logo atrás, está Vettel, que tenta passar pelo francês sem nunca conseguir. Alonso pára também e desce para P5 e, com isso, as coisas estão assim:

  • P1 para Ocon
  • P2 para Vettel
  • P3 Para Sainz Jr.
  • P4 para Hamilton
  • P4 para Alonso.

Que corrida está a ser este Grande Prémio da Hungria. Estamos a 23 voltas do fim e Verstappen parou novamente para meter médios, ficando em P12. Os dois Williams continuam nos pontos e Ocon continua a defender a liderança, enquanto Vettel vai tentando sem nunca conseguir. Entretanto Hamilton parou também, meteu médios e está a voar. Voou até encontrar Alonso. O espanhol defendeu a sua posição com unhas e dentes (e muita experiência) e o inglês só o conseguiu passar depois de muitas tentativas, muitas batalhas interessantes e após um erro de Alonso na travagem para a curva 1. Faltam 10 voltas: Max está de volta aos pontos e os Williams continuam em P8 e P9.

Depois de passar Alonso, Hamilton depressa conseguiu passar o Ferrari de Sainz e estava agora a tentar voar para apanhar a P2. Era impossível, mas mesmo assim tentou. Tanto tentou que conseguiu, em pouco mais de três voltas, passar de uma P3 a nove segundos da P2 para a mesma P3, mas a pouco mais de um segundo de Vettel na P2.

Por fim, dizer que Pierre Gasly conseguiu um ponto para a volta mais rápida com 1.18.394 e que, em 2021, o Grande Prémio da Hungria fica para a história da Fórmula 1: dois Williams nos pontos, uma equipa francesa, com motor francês e um piloto da mesma nacionalidade conquistaram o lugar mais alto do pódio e Hamilton volta a liderar o campeonato do mundo de pilotos. Sobre Estaban Ocon só há uma coisa a dizer: que grande corrida do francês que conseguiu defender cada uma das investidas de Vettel. Ocon só pode agradecer às suas habilidades e à tremenda ajuda de Fernando Alonso, que travou Hamilton durante voltas a fio, sendo que o piloto da Alpine deve também agradecer a Valtteri Bottas e ao seu Mercedes (que no fim da corrida ficou a saber que vai à Bélgica com uma penalização de cinco lugares na grid). Não fosse aquele jogo de bowling logo a abrir e, provavelmente, as 70 voltas em Hungaroring não entravam tão facilmente para a história da Fórmula 1.

Uma nota escrita às 22 horas de domingo, dia 1 de agosto de 2021: Esqueçam parte do que disse. Vettel não ficou em P2. Vettel foi desclassificado. Existe, nos regulamentos da FIA para a Fórmula 1, uma regra que diz que as equipas têm, no fim de cada corrida, de retirar um litro de combustível para que a FIA possa analisar a mistura e, dessa forma, perceber se o combustível corresponde aos regulamentos e se está de acordo com o que cada uma das equipas reporta. Acontece que a Aston Martin apenas conseguiu retirar 0.3L do carro de Vettel (embora os dados da equipa apontassem para que estivessem ainda 1.4L de combustível no depósito do monolugar) fazendo com que o piloto que já tinha sido chamado à atenção por usar uma t-shirt durante o hino da Hungria acabasse mesmo desclassificado, dando assim o segundo lugar a Lewis Hamilton e o terceiro a Carlos Sainz Jr..

Todos sabemos que andar com o carro na reserva não é saudável para o motor, mas é isto. Devido a uma regra sem sentido (pelo menos para mim, já que acho que 0.3L de combustível são mais que suficientes para fazer as análises necessárias), Vettel acaba desclassificado e uma corrida de loucos que ficaria para a história por si só acaba de certa forma manchada pelas regras ainda conservadoras da Fórmula 1.

Algo que talvez possa ser mudado, já que para o ano tanto muda. Agora é esperar, esperar pelo fim da pausa de verão e esperar que Vettel possa voltar ao pódio e desta vez com mais de 1L de combustível no Aston Martin.

A tabela abaixo foi também atualizada.

Uma nota escrita às 23 horas de domingo, dia 1 de agosto de 2021: Parece que a Aston Martin apelou contra a decisão dos stewards. Agora, o carro nº 5 vai ser transportado para as instalações da FIA para que então se possa verificar se existe, ou não, 1L de combustível no depósito do monolugar de Vettel. Por agora, e até que exista uma decisão, as classificações ficam como estavam.

Volto a este artigo quando a decisão for tomada. Entretanto, a tabela abaixo voltou a ser atualizada e é provisória… até à tal decisão.

Campeonato do Mundo de Fórmula 1 – Top 10 por pilotos

PosiçãoPilotoEquipaPontos
1Lewis HamiltonMercedes192
2Max VerstappenRed Bull Racing Honda186
3Lando NorrisMclaren Mercedes113
4Valtteri BottasMercedes108
5Sergio PerezRed Bull Racing Honda104
6Charles LeclercFerrari80
7Carlos Sainz Jr. Ferrari80
8Daniel RicciardoMcLaren Mercedes50
9Sebastian VettelAston Martin Mercedes48
10Pierre GaslyAlphaTauri Honda48

Campeonato do Mundo de Fórmula 1 – Top 5 por equipas

PosiçãoEquipaPontos
1Mercedes300
2Red Bull Racing Honda290
3Mclaren Mercedes163
4Ferrari160
5Alpine Renault75

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Fórmula 1 – Grande Prémio de Itália com festejos na Austrália

O Grande Prémio de Itália veio salvar os três fins de semana consecutivos no campeonato do mundo de Fórmula 1.

Fórmula 1 – Grande Prémio dos Países Baixos com vitória de Max Verstappen

Depois de um espetáculo menos bonito durante o "Grande Prémio" da Bélgica, a Fórmula 1 esteve de volta para o Grande Prémio dos Países Baixos. A correr em casa, Max Verstappen levou a melhor ao volante do seu Red Bull, deixando a competição para trás e subindo, de novo, à liderança do campeonato do mundo de pilotos.

Fórmula 1 – Grande Prémio da Bélgica e o triste espetáculo da FIA

Depois de uma qualificação inacreditável, que contou com o Williams de Russell a 0.3 segundos da pole position, o Grande Prémio da Bélgica conseguiu superar a qualificação e ser ainda mais inacreditável.

Fórmula 1 – Grande Prémio da Grã-Bretanha: Arise, Sir Hamilton! Britânico vence após acidente com Max Verstappen

O fim de semana do Grande Prémio da Grã-Bretanha começou com emoção e acabou com emoção. Sexta-feira com qualificação, sprint race no sábado e Grande Prémio no domingo. Um novo formato que trouxe emoção aos três dias de GP com o culminar desse sentimento a acontecer durante primeira volta da corrida.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Burger King abre novo restaurante em Sesimbra

É o 12º spot da marca no distrito de Setúbal e o segundo em Sesimbra.

Vai ser possível visitar os novos trabalhos arqueológicos em Troia ainda em setembro

Mas atenção: é num dia específico e os lugares são limitados.