Gooders. Startup brasileira dá recompensas a quem fizer voluntariado

- Publicidade -

Chama-se a isto economia social. A Gooders, startup brasileira, atravessou o Atlântico e chega agora a Portugal, naquela que é a primeira paragem para uma expansão europeia.

A Gooders está a desenvolver um novo modelo de economia social, onde junta, na mesma plataforma, organizações não governamentais (ONG’s), voluntários e marcas. E com isso todos ficam a ganhar.

Ao ser um marketplace social, isto significa que os voluntários acabam por ser recompensados pelas horas que dedicam às causas que abraçam. A recompensa não é bem monetária, mas sim em forma de benefícios e ofertas de produtos e serviços de outras marcas.

A plataforma criou uma moeda virtual – gooders -, que servirá depois para fazer a troca por descontos, produtos ou serviços. Sabe-se que, por cada 10 minutos de voluntariado, recebe-se um “gooder”. Ou seja, se alguém fizer voluntariado durante uma hora, receberá seis gooders. Depois basta trocar pelo que se pretende.

Mas atenção, a moeda assume diferentes valores dependendo do parceiro. A Dott, um dos parceiros, oferecer 5€ de desconto numa compra por cada 10 gooders trocados. No caso da ProdTo, outro dos parceiros, cinco gooders valem 5€ de desconto.

Em Portugal, a Gooders nasce com mais de 400 ações de voluntariado disponibilizadas por 3000 ONG’s nacionais. A mensagem que se pretende passar é clara: “Fazer o bem recompensa”.

É bastante fácil ajudar. Basta fazer a inscrição na plataforma, selecionar uma ação solidária, fazer o voluntariado e, depois, esperar pela recompensa.

Com esta chegada a Portugal, a Gooders espera que voluntários ONG’s e marcas se juntem em nome da responsabilidade social – um esforço conjunto que representa benefícios reais para todos os participantes na economia social. Qualquer pessoa pode ajudar.

A Gooders afirma-se, ainda, como uma forma das organizações divulgarem as suas ações de Responsabilidade Social e necessidades conseguindo alcançar um público mais alargado.

Esta aposta da Gooders em Portugal também se justifica pelos números. Em 2018, a taxa de voluntariado foi de 7,8%, o que quer dizer que cerca de 695 mil pessoas realizaram pelo menos uma actividade solidária sem remuneração. A ala jovem é a mais predominante, entre os 15 e os 24 anos de idade.

No Brasil, país de origem, a Gooders conta com 12.0000 organizações na plataforma e um total de 214.000 voluntários registados.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome