Freebee é o site que dá descontos em centenas de lojas

- Publicidade -

E tanto há descontos diretos como outros que acumulam para uma próxima compra.

Freebee

Já existe há alguns anos, mas vamos sempre a tempo de lhe dar algum destaque. Falamos do Freebee, site português que dá a oportunidade aos seus utilizadores de terem descontos em centenas de lojas existentes no país.

Se, no início, o projeto focava-se mais em restaurantes e pastelarias, hoje em dia oferece vantagens em lojas de decoração, de moda e acessórios, de saúde e bem-estar, de produtos para o lar, de plantas e animais, entre outras. Acima de tudo, o objetivo é fazer poupar algum dinheiro.

O funcionamento é muito simples, existindo três formas de aderir à Freebee: através da app, site ou numa loja aderente (basta dar o número no momento da compra e será criado um pré-registo no momento), sendo um processo totalmente gratuito. A partir daí, basta consultarem no site/app as lojas aderentes.

Depois, quando forem a uma loja aderente, devem dar o vosso número de telemóvel ou, então, apresentar o QR code gerado através da app (em alternativa pode ser impresso a partir do site, na área reservada).

Na app da Freebee irão verificar que existem vários tipos de descontos, tanto aqueles que são diretos, como outros que acumulam determinado valor de compra para utilizarem numa próxima visita

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

- Publicidade -

Relacionados

Depois de oferecer casas, Lidl vai dar descontos em produtos diariamente através da app

Todos os dias até ao natal, terão um cupão presente para ativarem na app Lidl Plus.

A nova promoção da PlayStation Store é dedicada a sequelas e prequelas

Terminaste um dos teus jogos favoritos e queres mais?
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Burlões viram-se para a Vinted para roubar dinheiro

O Portal da Queixa identificou um aumento no número de que envolvem burlas online.

Governo criar criar mais 10 mil lugares de creche em todo o país nos próximos anos

O Estado deixa de apoiar exclusivamente as famílias de mais baixos rendimentos (1.º e 2.º escalões) e passa a abranger todas as crianças independentemente do rendimento das famílias.