Fórmula 1 – Grande Prémio do Sakhir: Desilusão de Russell e festa da Racing Point

- Publicidade -

O Grande Prémio do Sakhir, a segunda corrida desta temporada no Bahrain, deu a vitória a Sergio Pérez. O piloto da Racing Point BWT Mercedes, ainda sem contrato para a próxima época, subiu ao lugar mais alto do pódio numa corrida emocionante onde uma mistura de azar e erros por parte da Mercedes negaram a vitória a George Russell, piloto britânico que estava este fim de semana ao volante do Mercedes de Lewis Hamilton. 

Fórmula 1 - Grande Prémio do Sakhir
Foto: Formula1.com – Grande Prémio do Sakhir

Texto por: André Santos

Uma semana depois das emoções fortes do Grande Prémio do Bahrain, a Fórmula 1 esteve de volta para uma versão mais rápida do mesmo circuito, onde as voltas com tempos inferiores a um minuto estavam prontas para receber George Russell no carro de Lewis Hamilton – que acusou positivo no teste de despiste à COVID-19 -, Pietro Fittipaldi no Haas de Romain Grosjean e ainda Jack Aitken no Williams Mercedes que costuma ser conduzido por Russell. Toda uma troca de pilotos que parecia estar a ser transformada num “conto de fadas”, já que George Russell conseguiu um fantástico P2 na qualificação, tendo arrancado, assim, na fila da frente para o seu primeiro Grande Prémio com um carro que não o Williams. 

Tudo começou bem para o jovem piloto britânico. O bom arranque depressa o colocou à frente do seu colega de equipa, Valtteri Bottas, e passando à frente do pião de Kimi Räikkönen, o futuro ficou ainda mais sorridente para Russell depois de Charles Leclerc ter atacado de forma errada uma curva, batendo em Pérez e levando Max Verstappen a sair de pista e acabar no muro. O resultado foi perfeito para a Mercedes: Max Verstappen de fora, Charles Leclerc de fora (não é que a Ferrari esteja em posição de competir com os carros da frente) e Pérez a cair para 18º e a ter que parar depois do toque com Charles. 

Passamos agora para a volta 11. Russell continua a conseguir ganhar vantagem ao finlandês da Mercedes e a Carlos Sainz, o piloto da McLaren que, nesta altura, estava em 3º lugar. No entanto, Pérez começa a subir na tabela com um ritmo incrível, estando agora cada vez mais próximo dos pontos. Na volta 17 começou o conjunto de ultrapassagens que pode definir o segundo piloto da Red Bull para a próxima época, Pérez passa Lando Norris e está agora em 10º lugar… isso mesmo, nos pontos após ter parado no fim da primeira volta.

Mas o melhor estava para vir. Pouco tempo depois, “Checo” já passava por Alexander Albon, que a cada corrida que passa vê o seu lugar na Red Bull ameaçado pelo piloto mexicano. 

Fórmula 1 - Grande Prémio do Sakhir
Foto: Formula1.com – Grande Prémio do Sakhir

Saltamos agora para a volta 32, o primeiro ponto alto para Russell. Pela primeira vez na sua carreira enquanto piloto na categoria máxima do desporto automóvel, o britânico consegue dar uma volta de avanço a um carro… ele que geralmente vê os pilotos da frente fazerem-lhe o mesmo corrida após corrida. Estamos agora na volta 51, já todas as equipas pararam e o conto de fadas de Russell continua ao estar em P1, a 8.5 segundos do seu colega de equipa. Já no meio da tabela, Albon recupera um lugar ao passar Norris e está agora em 9º lugar. 

Já ouviram aquele ditado do “quanto mais alto sobes, maior é a queda”? Pois bem, a queda de Russell pode bem ter começado quando o Williams de Nicholas Latifi é forçado a parar no fim da curva 8, levando a um Virtual Safety Car [VSC] que fez com que Bottas se aproximasse do carro com o número 63. Pior estiveram Sainz e Daniel Ricciardo, que não só pararam tarde de mais, como não aproveitaram o VSC, perdendo ainda posições, fazendo assim com que Pérez esteja agora em 4º lugar… sim, o mesmo Pérez que estava em 18º lugar depois da primeira volta. 

https://twitter.com/MercedesAMGF1/status/1335665635297284097

Se a queda de Russell começou com o VSC, o piloto bateu no chão quando outro Williams, aquele  que normalmente é seu, bateu na saída da última curva e fez com que o Safety Car tivesse que vir para pista… Até aqui tudo bem, mas, depois, a equipa alemã decidiu parar ambos os pilotos em simultâneo, aproveitando o ritmo mais lento imposto pelo Safety Car. Esta dupla paragem levou a uma troca de pneus, o que fez Russell ir para pista com dois pneus que pertenciam a Bottas e o finlandês a sair da box com os mesmos pneus com que entrou. 

Com esta falha da Mercedes, Russell teve que parar para trocar novamente de pneus e, assim, evitar uma penalização (que por agora ainda está em análise por parte da FIA), enquanto que Bottas começava a perder tempo derivado do uso de um conjunto de pneus velhos. O jovem piloto não se deixou abater e depressa começou a galgar terreno, fazendo voltas cada vez mais rápidas, passando de P5 para P2 a apenas 2.1 segundos de Pérez, que está agora na liderança. 

De volta ao conto de fadas, até que um furo obriga o substituto de Lewis Hamilton a parar novamente e cair para 15º lugar. Fora dos pontos mas sem desistir, com poucas voltas para conseguir chegar a P10, Russell passa um, dois, três, quatro e lá está: 10º lugar, piloto do dia e volta mais rápida com 55.404 segundos para o piloto britânico, que lá conseguiu conquistar os seus primeiros pontos na Fórmula 1. 

A noite acaba por ditar a vitória de Sergio Pérez, dar o segundo lugar a Estaban Ocon e o terceiro a Lance Stroll. Uma noite de festa para a Racing Point, que está agora 10 pontos à frente da McLaren Renault na luta pelo terceiro lugar no campeonato de construtores, e uma noite de eventos pouco felizes para a garagem da Mercedes. Mas Toto Wolff e a equipa alemã acabaram por perceber que existe vida para lá de Lewis Hamilton e que o futuro da equipa poderá estar mais que assegurado com o gigante George Russell. 

Fórmula 1 - Grande Prémio do Sakhir
Foto: Formula1.com – Grande Prémio do Sakhir
- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

- Publicidade -

Relacionados

Grande Prémio de França – P1 para Max Verstappen e dois Mercedes no pódio

De volta ao circuito Paul Ricard para a edição de 2022 do Grande Prémio de França, os Ferrari pareciam fortes tendo em conta a forma apresentada durante os treinos e qualificação...

Fórmula 1 – Grande Prémio da Áustria foi agridoce para a Ferrari

A Ferrari acertou na estratégia e preparava-se para subir aos dois lugares mais altos do pódio do Grande Prémio da Áustria quando o motor do Ferrari de Carlos Sainz cedeu à batalha com Max Verstappen, o espanhol acabou com o carro em chamas e Max quase que conseguia segurar o primeiro lugar depois de alguns problemas assombrarem também o carro de Charles Leclerc.

Fórmula 1 – O Grande Prémio de Inglaterra foi dos melhores do ano

Fórmula 1 deveria ser sinónimo de emoção. Mas a verdade é que nem sempre é assim, alguns Grandes Prémios podem mesmo ter partes aborrecidas em que a ação em pista não acontece. O Grande Prémio de Inglaterra foi o oposto: emoção da primeira à última volta que resultou no melhor Grande Prémio deste ano, uma corrida que a única coisa que teve de negativo foi o acidente ao na primeira volta. Felizmente Zhou Guanyu está bem e fica apenas para a história como um susto.

Fórmula 1 – Grande Prémio do Azerbaijão: Dores nas costas e coração partido

De volta a um fim de semana de Fórmula 1, o Grande Prémio do Azerbaijão começou com 20 carros, mas acabou apenas com 15 e uns quantos outros a terem problemas durante a corrida.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Le Club Sushi & Disco. O novo restaurante da Praia de Santa Eulália promete uma experiência multissensorial

Por ali combina-se sofisticados pratos asiáticos com muita música. E o mar como pano de fundo.

Há uma nova loja Meu Super em Castanheira do Ribatejo

É a 63ª loja Meu Super no distrito de Lisboa.