Fórmula 1 – Grande Prémio da Rússia leva Bottas ao lugar mais alto do pódio

Depois de uma semana de pausa, a Fórmula 1 está de volta, desta vez a Sochi, para o Grande Prémio da Russia, mas com uma primeira volta que nos fez viajar até ao segundo fim de semana de Itália em Mugello. 

Texto por: André Santos

Antes da ordem de partida já o Grande Prémio da Russia se mostrava emocionante com a Williams a ter que trocar a caixa de Latifi e tal decisão a dar uma penalização de cinco lugares na grelha de partida. O piloto, que já partia em último, em último ficou, mas foi esta penalização que salvou Alexander Albon de partir na 20ª posição, já que também a Red Bull teve que trocar a caixa ao seu piloto, ficando assim na 19ª posição para a partida, depois de, há duas semanas, ter conseguido o seu primeiro pódio na F1. Mas claro que a emoção não podia ficar por aqui e, mesmo antes de partir para a primeira volta daquele que seria um Grande Prémio diferente, ficamos a saber que Lewis Hamilton estaria a ser investigado por simulação de partida fora do local permitido. 

Agora sim, estamos a ouvir os motores dos monolugares e a corrida começou. Logo na primeira volta, depois de uma partida enorme de Valtteri Bottas que rouba a segunda posição a Max Verstappen, o piloto holandês falha o ponto de travagem na curva dois e acaba por ter que seguir em frente. Quem também falha é Carlos Sainz Jr., que acaba por bater e ficar de fora, estragando também a corrida ao seu colega de equipa – Lando Norris – que tem que travar para evitar bater no McLaren agora atravessado na pista. No meio da confusão da curva 2, Charles Leclerc toca em Lance Stroll, perde o controlo do seu Racing Point e fica também de fora… Safety Car entra ao fim de duas curvas, quase tão emocionante quanto Mugello

Ufa! Conseguiram acompanhar? Neste ponto estamos com Safety Car e Norris, Albon e George Russel aproveitam para ir às boxes. Saltamos para o fim da volta 6, o Safety Car já abandonou a corrida no fim da volta 5 e, nesta altura, os Mercedes já levam, como seria de esperar, 2.6 e 1.3 segundos de Verstappen. O que não estávamos à espera, pelo menos ontem, era de ver Lewis Hamilton a fazer a sua paragem nas boxes ao fim da volta 16, mais cedo do que aquilo que o piloto britânico queria, e a ter que cumprir 10 segundos de penalização, algo que atirou o sete vezes campeão do mundo para a 11ª posição, lugar que o obrigaria a fazer uma grande corrida para conseguir apanhar Max Verstappen e o seu próprio colega de equipa, Valtteri Bottas. 

Com a ida às boxes, Albon continua a ter que subir lugares para tentar chegar aos pontos e já subiu quatro posições, encontrando-se agora em 14º lugar. Quem está a ter um verdadeiro passeio de domingo, passeio esse que costuma pertencer a Hamilton, é o Mercedes com o número 77, conduzido pelo finlandês Valtteri Bottas. O ar limpo à frente do W11 de Bottas faz com que este, na 21ª volta, já leve 6.2 segundos de vantagem em relação ao piloto da Red Bull, que, por sua vez, continua a ter que batalhar com três vezes mais força para conseguir chegar perto dos Mercedes… a diferença entre a performance dos carros é tanta que quando Valtteri Bottas entra nas boxes para mudar de pneus, ao fim da volta 26, consegue sair da pit lane à frente de Max. 

Saltamos para a volta 31, de 53, quando Daniil Kvyat finalmente faz a sua paragem obrigatória e desce do último lugar do pódio para a 8ª posição, continuando à frente do seu colega de equipa, Gasly, que se encontra em 10º lugar. Umas voltas mais tarde e Bottas, que na pit tinha um engenheiro novo, continua a dominar de tal forma que a sua vantagem é agora de cerca de 10 segundos para Max Vertappen e cerca de 20 para o seu colega Lewis Hamilton. E se, nesta altura, podíamos sonhar com algumas voltas interessantes na luta pelo segundo lugar, a verdade é que Hamilton nunca conseguiu aproximar-se o suficiente de Max Verstappen para que fosse considerado uma ameaça… nem o Virtual Safety Car de alguns segundos o ajudou. 

Estamos cada vez mais perto do fim e, enquanto o Mercedes 77 continua na frente, a emoção é mesmo na batalha pelos últimos lugares pontuáveis. Com Lando Norris, Alexander Albon e Pierre Gasly a lutarem durante algumas curvas, a verdade é que o jovem piloto da McLaren acabou por perder o seu 9º lugar e depois o 10º, deixando-o assim fora dos pontos e fora da batalha com os dois da frente ao decidir parar nas boxes, pela segunda vez, para trocar de pneus.

Voltamos atrás no tempo para relembrar uma luta idêntica: No início da corrida, depois de toda a confusão, era Norris, Russel e Albon que lutavam, lado a lado, para sair da última posição. Dois momentos no Grande Prémio da Russia que mostram que a Fórmula 1 está mais que pronta para manter a competitividade quando aquela que é, agora, a nova geração de pilotos, passar a dominar os lugares cimeiros da tabela classificativa. 

Por fim, importa referir que tanto Sergio Pérez como Daniel Ricciardo fizeram uma ótima corrida. O mexicano, por agora sem lugar na próxima época, conseguiu manter um 4º lugar muito importante para uma Racing Point que tenta ser a terceira melhor equipa na grid; já o australiano Ricciardo mostrou serviço ao volante do R.S. 20, mantendo o 5º lugar mesmo com uma penalização de cinco segundos que recebeu durante a corrida. Também a AlphaTauri Honda, como equipa, esteve muito bem ao conseguir garantir um 8º e 9º lugar e, assim, aproximar-se da Ferrari no campeonato do mundo de construtores, campeonato esse que continua a ser dominado pela Mercedes, seguida da Red Bull Racing Honda e da McLaren Renault

Como começa a ser normal na presente época de Fórmula 1, o Grande Prémio da Russia foi mais um passeio para a equipa de Toto Wolff, que consegue assim um primeiro e terceiro lugar. Desta vez, a única diferença foi mesmo o piloto a subir ao lugar mais alto do pódio: Valtteri Bottas volta a repetir o que fez em Sochi no ano de 2017, sendo que, na altura, teve que se preocupar com o alemão Sebastian Vettel, que hoje acabou por terminar em 13º lugar, fora dos pontos. 

Mannaggia la miseria!

Sigam-nos

10,847FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
632SeguidoresSeguir

Relacionados

Fórmula 1 – Grande Prémio de Eifel dá vitória especial a Lewis Hamilton

Na Alemanha, o Grande Prémio do Eifel não teve um início de fim de semana fácil, mas, no fim, recordes foram igualados e outros batidos. Pódios finalmente apareceram para quem há muito lutava por eles e Lewis Hamilton teve uma das mais especiais vitórias da sua carreira.

Fórmula 1 conta com o apoio da Heineken no regresso a Portugal

Até porque o GP de Portugal tem o nome de Fórmula 1 Heineken Grande Prémio de Portugal 2020.

Fórmula 1 – Grande Prémio da Toscana devolve domínio à Mercedes

Este fim de semana a Fórmula 1 esteve de volta a Itália, desta vez a Mugello para o Grande Prémio da Toscana. Numa corrida cheia de emoção e bandeiras vermelhas a Mercedes volta a dominar, Alexander Albon consegue o seu primeiro pódio e a Scuderia Ferrari teve poucas razões para festejar no seu 1000º Grande Prémio.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Oficial: Máscaras passam a ser obrigatórias na rua

A medida estará em vigor durante pelo menos três meses, podendo depois ser renovada.

A Xbox pode receber uma versão em formato de streaming stick para o xCloud

Esta poderá ser um terceiro modelo da Xbox, dedicado ao streaming.

Crítica – Rebecca

A versão da Netflix de Rebecca perde-se ao tentar equilibrar tantos géneros em apenas um filme.