Fomos experimentar o brunch do restaurante Astória

Foi no passado sábado, dia 30 de junho, que tivemos oportunidade de conhecer o novo brunch do restaurante Astória, situado no famoso Hotel InterContinental Porto – Palácio das Cardosas, na emblemática baixa portuense.

- Publicidade -

Com vista para a Avenida dos Aliados e para a estação de São Bento, o restaurante apresenta um elevado requinte, tendo sido a nossa equipa presenteada com uma mesa bem localizada e espaçosa, com cadeiras confortáveis e com vista exterior. Apesar de bastante quente lá fora, o ambiente dentro do Astória estava agradável, havendo, ainda, uma suave música de fundo.

O Astória apresenta-se como tendo o melhor brunch do Porto, estando disponível aos sábados e domingos, das 12h30 às 16h. Além do brunch, com um menu fixo pelo preço de 21,50€ por pessoa (sem bebidas), os adeptos de espumante poderão optar pelo Brunch & Bubbles – 28,50€ por pessoa – no qual o espumante é servido à discrição; ou pelo Brunch & Cattier Champagne, por 49,50€. No nosso caso recebemos o menu Brunch & Bubbles.

Para aqueles que começam com um pequeno almoço mais conservador, a pastelaria é composta por donuts, waffles, croissant’s de amêndoa e pastéis de nata. Relativamente à padaria, temos baguete, bolinha artesanal, pão chapata, pão bouchon e pão artesanal com sementes. Já para os mais fortes de estômago, e geralmente estrangeiros, não faltavam os ovos mexidos, a salsicha toscana, o crispy bacon e o tomate assado. Para os mais adeptos de pequenos-almoços frescos, havia ainda os iogurtes de granola, de frutos silvestres, de compota de banana e de compota de pêssego.

De seguida, como opções mais viradas para o almoço, não faltavam as opções “frias”. Havia a tábua de queijos, a tábua de charcutaria, a quiche lorraine, a salada de beterraba assada com nozes e queijo de cabra; a salada caprese, a salada césar de frango (estava um pouco seca), o salmão marinado com beterraba (simplesmente delicioso!), a salada de abóbora com queijo de cabra e uma variedade de fritos tradicionais que incluía rissóis de carne, camarão e croquetes muito saborosos. Os frios eram complementados também pelas saladas clássicas: salada mista e salada de tomate e manjericão com queijo fresco (muito boa), pepino, vinagrette de limão e guacamole e molho cocktail.

Os quentes eram compostos pela sopa de feijão com couve lombarda, bacalhau com natas e bochecha de porco com molho de vinho tinto. Todos os pratos tinham muito bom aspeto, sendo que o bacalhau com natas era muito saboroso. Contudo, não tinha vestígios de bacalhau – apenas muita cebola. Também achámos a bochecha de porco um pouco ressequida, mas terá sido devido à escolha feita, pois havia bastante molho no fundo do recipiente que a acondicionava.

Da cozinha foi ainda possível pedir o prego de vaca em bolo do caco com pata negra e queijo de cabra e um mini cheese burguer de novilho. O prego estava simplesmente delicioso, muito destacado pela intensidade de sabor do queijo de cabra. Já o cheese burguer não superou as expetativas, pois estava um pouco seco, embora a carne muito tenra e saborosa.

Estava ainda disponível da cozinha os ovos escalfados, ovos benedict e ovos estrelados.

Por fim, aquela que é, sem sombra de dúvidas, a estrela deste brunch: a parte das sobremesas. A mesma é composta pela tarte de limão e merengue, pelo bolo húmido de chocolate e frutos vermelhos, pela seleção de frutas da época, pelo tiramisu tradicional, pelo bolo de bolacha, pela mousse de chocolate e pelo bolo red velvet.

Estava tudo bastante apetitoso, principalmente o bolo de chocolate com frutos vermelhos e o red velvet. Também gostámos muito da variedade de frutas disponíveis: abacaxi, melão, melão, laranja, toranja, maracujá, kiwi, amoras, framboesas, mirtilos e morangos (sempre com folhas – porquê?!). Sabe sempre bem uma fruta fresca no fim de uma refeição pesada.

Terminámos por volta das 15h a nossa degustação de sabores, sendo que o brunch estava disponível até às 16h. Um ponto muito positivo que nos apercebemos foi que não faltou nenhuma comida na sala onde estava exposta – os chefs iam repondo sempre.

Ao longo das quase duas horas e meia que estivemos no Astória, fomos tratados de forma excelente pelos funcionários da sala, que, para além de não deixarem que nunca faltasse espumante nos nossos copos, tinham a amabilidade de questionar se estava tudo bem (faziam-no com todas as mesas).

Se é um daqueles dias em que acordam às 14h e não conseguem decidir onde ir almoçar, se pretendem levar a cara metade a um sítio de elevado requinte, ou, simplesmente, para comemorar uma ocasião especial, experimentem o Astória. Certamente não se irão arrepender.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,784FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
656SeguidoresSeguir

Relacionados

Crítica – WandaVision (Primeiros três episódios da temporada)

WandaVision é tão estranha e misteriosa como se antecipava. Elizabeth Olsen brilha.

Crítica – Pieces of a Woman

Com um dos melhores atos de abertura dos últimos anos, a história emocionalmente chocante de Pieces of a Woman é elevada pelas melhores prestações das carreiras de Vanessa Kirby e Shia LaBeouf.

Restaurante Astória fecha portas a 10 de janeiro

Mas nem tudo é mau, pois está a ser construído um novo conceito e um novo espaço.

Mini-Críticas de 2020 (Cinema)

Opiniões concisas sobre alguns filmes para os quais não tivemos possibilidade de escrever uma crítica completa antes do fim do ano.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes