Fantasian é o novo jogo do criador de Final Fantasy para o Apple Arcade

O novo projeto da Mistwalker conta com cenários feitos à mão.

- Publicidade -

Hironobu Sakaguchi, o criador da icónica saga Final Fantasy, tem um novo projeto em mãos. Chama-se Fantasian e vai ser lançado em exclusivo para o serviço Apple Arcade.

Produzido pela Mistwalker, este RPG de ação por turnos é familiar aos fãs do género, mas conta com elementos de destaque inovadores, como os seus cenários criados à mão. São mais de 150 dioramas físicos em miniatura que foram convertidos para o jogo para dar um aspeto mais realista e imersivo, onde as personagens 3D navegam na sua aventura.

Fantasian conta, também, com uma nova forma de lidar com os inimigos encontrados aleatoriamente durante a aventura, onde é possível “guardar” os combates para lidar com eles noutra altura, numa funcionalidade chamada Dimengeon, que mistura o conceito de Dungeon numa dimensão alternativa.

Esta aposta, segundo Sakaguchi, é inspirada em Final Fantasy 6 e conta com muitos elementos e mecânicas familiares aos fãs do género JRPG old-school, onde a investigação e exploração são elementos tão ou mais importantes como o combate e a progressão.

Fantasian ainda não têm data de lançamento fixa, mas aponta para 2021, para já apenas no Apple Arcade, através da Apple TV, computadores Mac, iPhone e iPad.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,987FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
785SeguidoresSeguir

Parceiros

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

North Music Festival é adiado, mas para setembro e outubro deste ano

Dois meses depois, eis que finalmente temos novidades sobre o North Music Festival 2021.

Reconstrução do Muro das Namoradeiras no Terreiro do Paço está finalizada

A reconstrução do Muro das Namoradeiras envolveu a inventariação de mais de 400 pedras que se encontravam depositadas nas instalações do Metro da Pontinha.

Não responder aos Censos 2021 dá origem a uma multa que vai dos 250 até um máximo de 100 mil euros

Sim, é mesmo essa informação que surge no Decreto-Lei n.º 54/2019 de 18 de abril.