fbpx

Facebook: Estão a chegar novas medidas no combate a notícias falsas

No último ano e meio, o Facebook comprometeu-se a combater as notícias falsas, combinando tecnologia com revisão feita por pessoas, e removendo contas falsas, apostando em parcerias com verificadores de factos (fact-checking) e promovendo literacia noticiosa. Estes esforços nunca estarão concluídos e ainda há muito a fazer.

Como parte deste trabalho contínuo, o Facebook anuncia agora:

  • A expansão do seu programa de revisão de factos (fact-checking) a novos países;
  • A expansão deste fack-checking a fotografia e vídeo;
  • O aumento do impacto do fact-checking com a introdução de novas técnicas, incluindo a identificação de cópias e a utilização do Claim Review;
  • Ações contra novos tipos de reincidentes;
  • Melhoria de métricas e transparência através de parcerias com académicos

Expansão do seu programa de revisão de factos (fact-checking) a novos países

Desde o lançamento do seu programa de fact-checking por terceiros, na Primavera passada, que o Facebook expandiu esta rede a 14 países – aos quais outros se juntarão até ao final do ano. Estas entidades independentes e certificadas avaliam a exatidão das histórias publicadas no Facebook, ajudando a rede social a reduzir a propagação de histórias consideradas falsas em cerca de 80%.

Expansão do fack-checking a fotografia e vídeo

Um dos desafios no combate à desinformação é que esta se manifesta de forma diferente nos diversos tipos de conteúdos e países. Para combater esta questão, o Facebook alargou os seus testes de fact-check de fotografia e vídeo a quatro países – que inclui o que é manipulado (ex: vídeo editados que mostram algo que na realidade não aconteceu) ou tirado do contexto (ex: uma fotografia de uma tragédia anterior associada a outro conflito, noutra data).

Aumento do impacto do fact-checking com a introdução de novas técnicas

Com mais de um milhar de milhão de peças de conteúdo publicadas diariamente, o Facebook está ciente que os revisores de factos não conseguem rever todas as histórias uma por uma. Por isso mesmo, a rede social está a estudar novas formas de identificar notícias falsas e agir a uma escala maior.

O machine learning ajudará a identificar cópias de histórias sem qualquer crédito. Por exemplo, em França, um fack-checker descredibilizou a mensagem de que era possível salvar alguém de um ataque cardíaco, recorrendo a uma agulha para lhe picar os dedos e retirar sangue. Isto permitiu a identificação de mais de 20 domínios e 1400 links que espalhavam esta mensagem.

Os parceiros de verificação de factos passarão também a utilizar o Claim Review da Schema.org, uma framework open-source utilizada por várias empresas tecnológicas e organizações de verificação de dados. Este facilitará a partilha de ratings com o Facebook permitindo uma resposta mais rápida, sobretudo em alturas de crise.

Ações contra novos tipos de reincidentes

Historicamente, o Facebook tem recorrido aos ratings fornecidos pelos fact-checkers para identificar Páginas e domínios que, repetidamente, partilham notícias falsas. Nessa altura o Facebook atua, reduzindo a sua distribuição e retirando-lhes a sua capacidade de monetização. Para ajudar a restringir intervenções externas no discurso público, o Facebook começa agora a recorrer ao machine learning para identificar e reduzir páginas estrangeiras com maior probabilidade de disseminarem embustes com motivação financeira a pessoas de outros países.

Melhoria de métricas e transparência através de parcerias com académicos

Em abril, o Facebook anunciou uma nova iniciativa para ajudar a promover uma pesquisa independente sobre o papel das redes sociais nas eleições – e na democracia em geral. Nas próximas semanas, a comissão vai liderar um pedido de propostas para medir o volume e efeitos da desinformação no Facebook. De seguida, irá gerir um processo de revisão pelos seus pares para selecionar que académicos irão receber fundos pelas suas pesquisas e aceder a conjuntos de dados privados/protegidos. Esta pesquisa externa, validada, ajudará o Facebook perceber que progressos tem vindo a alcançar.

- Publicidade -

Afiliados

Sigam-nos

10,779FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
628SeguidoresSeguir

Media Partner

Relacionados

Ferramenta de transferência de fotos e vídeos do Facebook passa a incluir o Dropbox e Koofr

Recorde-se que, no início deste ano, o Facebook lançou uma ferramenta de transferência de fotos e vídeos com o Google Fotos.

Há uma nova burla que usa o nome do Facebook

Receberam algum email do género? Apaguem-no imediatamente.

Adeus Mixer. Olá Facebook Gaming

A Microsoft vai transferir o seu serviço de streaming para o Facebook.

Ainda não têm o “novo” Facebook? É normal. Pode depender do browser

Experimentem mudar de browser e digam-nos o que aconteceu.
- Publicidade -

Mais Recentes

Crítica – The One and Only Ivan

The One and Only Ivan é um dos filmes mais bonitos de 2020.

Protege A Criança mais importante da galáxia no novo set LEGO de The Mandalorian

Agora que já todos conhecem, finalmente, A Criança, ou Baby Yoda para os amigos, o Grupo...