Experimentámos a aplicação REV, dos The Gift

Com o lançamento da nova aplicação REV, os The Gift abriram as portas a todos.

the gift rev
- Publicidade -

Texto por: Telmo Couto

Já disponível online na plataforma criada para o efeito e via app para Android (com versão iOS prevista para breve), a REV é mais do que uma mera aplicação. É um serviço comparável a uma Netflix ou HBO, mas inteiramente dedicado a todo o tipo de conteúdos dos The Gift. Todas as músicas, todos os videoclipes, vários concertos e memórias retiradas do baú… e até mesmo conteúdos inéditos, incluindo programas criados propositadamente pelos vários elementos da banda.

Foi precisamente com algo inédito que se estreou o serviço, com a transmissão de um concerto ao vivo em Alcobaça, gravado em segredo umas semanas antes no Cine-Teatro de Alcobaça, num palco sem público presente. O Premiére Show coloca os espectadores no próprio palco, ao lado da banda, num alinhamento que é uma autêntica viagem no tempo onde, em vez dos singles, mostram vários temas menos conhecidos de vários dos seus discos. Um concerto que tanto apela à nostalgia dos fãs de longa data, como dá a conhecer aos restantes espectadores um outro lado da banda – para dar uma ideia, nenhum dos temas tocados está na lista de mais “populares” do Spotify.

Como a própria banda o referiu em várias entrevistas, REV é para todos, desde os grandes fãs até aos meramente curiosos. Por isso mesmo, o serviço conta com duas modalidades: um plano gratuito, com acesso limitado a alguns conteúdos, e uma subscrição com acesso a tudo o resto – incluindo, no futuro, a transmissão de concertos que estarão em formato pay-per-view para os restantes utilizadores.

Na vertente gratuita, estão disponíveis todos os discos da banda, assim como todos os videoclipes que foram lançados desde o tempo do álbum Digital Atmosphere. Além disso, também têm disponível o concerto de apresentação da plataforma acima referido. Todos os restantes conteúdos, exclusivos para a subscrição, aparecem com acesso bloqueado.

rev the gift - Premiére Show

Uma das principais motivações a subscrever será, sem dúvida, o acesso a todo o catálogo de espetáculos ao vivo, documentários e até outros tesourinhos que tanto apelam à nostalgia de quem acompanha a banda há muito tempo, como servem de descoberta para os fãs mais recentes. E se o conteúdo disponível já é, atualmente, impressionante, ao longo do tempo irá receber ainda mais – tornando-se uma verdadeira caixa de memórias dos The Gift.

Mas se a app REV permite revisitar o passado, é, também, uma plataforma que se encontra no presente, com muitos planos para o futuro. Todos os elementos da banda estão a desenvolver conteúdos exclusivos para o serviço, que podem ir desde entrevistas a programas de entretenimento, tanto em vídeo como em áudio, que serão disponibilizados ao longo do tempo. Sónia Tavares, por exemplo, irá interpretar covers de outros artistas, enquanto que Miguel Ribeiro irá viajar pelo país a mostrar a origem dos produtos mais tradicionais da nossa gastronomia. Já no Mesa para quatro, toda a banda irá reunir-se mensalmente para falar dos livros, filmes e, claro, os discos que têm estado a acompanhar.

Finalmente, há ainda uma componente de rede social, neste momento disponível apenas na aplicação móvel. Aqui, os fãs poderão tanto interagir entre si, como com a banda propriamente dita. É uma funcionalidade bastante simples, com duas “feeds” distintas: uma com todas as publicações dos fãs, outra para os elementos da banda. Em todos os posts, os utilizadores tanto podem fazer os seus comentários, como deixar um simples “coração”.

Naturalmente, a aplicação ainda conta com alguns bugs, especialmente no que diz respeito à pequena rede social. Se, por vezes, ao tentar submeter um post, ele simplesmente não aparece, noutras vezes, um post criado acidentalmente dá erro quando se tenta apagar. Problemas de crescimento habituais, que certamente irão desaparecer com o tempo.

Mas o mais estranho é mesmo o sistema de login, que atualmente funciona apenas através do envio de um e-mail, com um botão que leva o utilizador de volta ao sistema. Problema: o e-mail não funciona como uma confirmação, como às vezes acontece ao ligar uma conta a um novo dispositivo. Aqui, o e-mail consiste num botão de acesso criado especificamente para aquele login. Se, por um lado, isto facilita o processo de login a partir de qualquer browser onde também se possa aceder ao e-mail, também torna bastante difícil coisas como aceder aos conteúdos numa Smart TV da sala de estar, onde naturalmente as pessoas não querem ter o e-mail.

Outras funcionalidades, como poder-se transmitir diretamente para a TV via Chromecast/Apple TV através do smartphone, por exemplo, também seriam bem-vindas.

Mais do que um mero arquivo ou repositório de conteúdos, REV é uma porta aberta para uma sala de estar onde os fãs se encontram com a banda. Um espaço onde tanto se vão buscar antigas memórias, como se fala do que está a acontecer, recheado de conteúdos para ver e ouvir… já diziam eles, é tão difícil ouvir sem sentir.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

App Rev, dos The Gift, é lançada esta semana

A primeira plataforma de streaming do mundo de uma banda é portuguesa.

Já é possível subscrever a app REV dos The Gift

O que quer dizer que a vertente premium já está disponível.

REV. App dos The Gift vai ter programas individuais desenvolvidos por cada um dos membros da banda

REV é o reflexo da palavra VER e é a oportunidade de conhecer os The Gift por dentro.

The Gift criam aplicação que conta a história da banda

A app REV conta também com conteúdos exclusivos, como vídeos making of, vídeos oficiais das músicas, documentários e concertos antigos gravados ao vivo.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

McDonald’s está a dar produtos grátis na app… mas com uma condição

Trata-se do novo passatempo de Natal da marca.

MXGP 21 – O salto para a nova geração continua por ser dado

MXGP 20 não tinha surpreendido, despenalizado apenas pelo facto de a Playstation 5 ter sido lançada umas semanas antes. Este ano não há desculpas, mas MXGP continua aquém das expectativas.