As estâncias de Ski mais baratas da Europa

- Publicidade - trk
- Publicidade -

Várias sugestões em França, Itália e Áustria.

Há quem não ligue a desportos de inverno, ao passo que outros passam o ano inteiro a pensar nisso. Afinal de contas, e para quem gosta, nada bate a adrenalina de descer pistas a uma grande velocidade com os amigos e aproveitar uns dias para descansar com uma vista espetacular sobre as montanhas cobertas de neve.

Mas como estamos ainda em pandemia, e uma vez que os desportos de Inverno são caros, a Holidu, o motor de pesquisa para casas de férias, decidiu analisar os preços de mais de 140 estâncias de esqui com mais de 50 km de pistas na Europa, de modo a fornecer as estações mais baratas para este Inverno.

Há sugestões para França, Itália e Áustria, bem como uma sugestão de destino de ski out-of-the-box.

Em França, a estância de ski mais barata é a de Aussois. Esta estância de esqui está localizada em Haute Maurienne Vanoise, perto da fronteira com Itália, a cerca de 11 horas de carro dos Países Baixos. Existem quatro elevadores sit-on e três elevadores de arrasto. Mais de metade das encostas são azuis e existem apenas três quilómetros de encostas pretas. Os principiantes podem, portanto, sair-se muito bem aqui.

Dacto engraçado: a estância de esqui mais barata de Itália para esta estação, Bardonecchia, está situada logo a seguir à fronteira, perto de Aussois. Paga-se 32€ por um dia de passe de esqui em Aussois na estação alta e uma média de 13€ por pessoa por noite para alojamento.

Além de Aussois, recomenda-se ainda Super Sauze, localizada no Vallée de l’Ubaye, e La Norma, também localizada na Haute Maurienne Vanoise. Atenção que esta última sugestão francesa é recomendada para pessoas com experiência.

Já em Itália, os preços sobem 20€ por dia em comparação com França, mas também obtemos quase o dobro dos km de descidas, como é o caso de Bardonecchia. Está localizada no Vale de Susa (Val di Susa) em Piemonte, a região no noroeste de Itália que faz fronteira direta com a França e a Suíça. Existem aqui 100 km de pistas de esqui, com o ponto mais alto a 2.800 m. Mais de metade das suas encostas são azuis. Por um passe de esqui diurno paga-se em época alta 40€ e por um alojamento 36€ por pessoa por noite.

Sugere-se ainda Monterosa Ski, localizado na montanha Monterosa, no vale de Aosta, e na Valsesia, e a Via Lattea, localizada na província de Turim e que vai até ao distrito francês de Briançon. Sim, estamos a falar de uma área que dá acesso a nada menos que 400 quilómetros de pistas!

Já na Áustria, a estância de desportos de Inverno mais barata é a de Grossglockner Heiligenblut. Se optarem por fazer uma viagem a esta estância, irão encontrar-se no topo da montanha mais alta da Áustria. Desfrutem da vista panorâmica do Grossglockner a 3,798 m de altura enquanto percorrem os muitos quilómetros de pistas. Por um passe de esqui diurno paga-se na época alta 48€ e por um alojamento 40€ por pessoa por noite. Tem uma área total de ski de 55 quilómetros.

No país, sugere-se ainda a estância Dachstein West (Gosau/Russbach/Annaberg) e a Ski Juwel Alpbachtal Wildschönau.

Por último, e devido à enorme presença de portugueses na região de Andorra, a Holidu sugere ainda outras três pistas: Ordino Arcalís, Vallnord Pal Arinsal e Grandvalira, esta última com 210 quilómetros de pistas para todos os níveis.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

- Publicidade -

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade - trk
- Publicidade -

Mais Recentes

Linha do Oeste vai ser finalmente modernizada

A capacitação da Linha do Oeste, até Caldas da Rainha, possibilitará a redução do tempo de viagem entre Caldas da Rainha – Lisboa e Torres Vedras – Lisboa em cerca de 30 minutos.

Stormzy fora do NOS Alive 2022. Horários já estão disponíveis

Está naquela altura de fazer escolhas.

Governo vai avançar com aeroportos no Montijo e em Alcochete. O de Lisboa é para fechar

O do Montijo, que será complementar, deverá estar pronto em 2026. Já o de Alcochete, que substituirá o de Lisboa, estima-se que entre em funcionamento em 2035.