Escobar Inc volta a enganar os utilizadores, desta vez com um iPhone 11 Pro “banhado a ouro”

Não comprem!

Escobar Inc

Nunca nos debruçámos sobre este assunto aqui no Echo Boomer, mas já estava na altura.

Tudo começou em 2019, quando a Escobar Inc, empresa de Roberto Escobar, irmão de Pablo Escobar, o traficante mais famoso do mundo, anunciava ao mundo o Escobar Fold 1, um dobrável que somente custava 350 dólares. Mais tarde, veio-se a perceber que, na verdade, o equipamento em questão era um Royole FlexPai, mas que, neste caso, havia sido rebatizado com um adesivo dourado.

Acontece que tudo isto é um grande esquema. É um scam puro e duro. Houve, de facto, quem tivesse adquirido este Escobar Fold 1, mas nunca receberam o produto, somente um livro bizarro sobre as façanhas do conhecido traficanete. Aliás, alguém criou um site de propósito a falar deste esquema.

Na altura, o Echo Boomer entrou em contacto com a Escobar Inc para comprovar o esquema, mas foi-nos dito que não davam unidades para teste; para isso, teríamos de viajar até à Colômbia ou Suécia. Escusado será dizer que não fizemos nada disso.

Meses depois, a Escobar Inc promoveu um novo dobrável: o Escobar Fold 2. E sim, adivinharam: é um Samsung Fold, mas com uma película dourada por cima. Retirando essa camada, irão notar que o logo da Samsung foi escondido propositadamente, como podem ver aqui em baixo.

Aliás, Gustavo Dias, jornalista da PC Guia, teve a oportunidade de testar esse dispositivo recentemente, referindo que este Escobar Fold 2 é, de facto, “um Samsung Galaxy Fold com uma película autocolante dourada no painel traseiro, uma fita autocolante do mesmo género no rebordo exterior da dobradiça e um wallpaper com o famoso retrato de Pablo Escobar, quando foi preso em 1977”.

Novamente, quem teve a infeliz ideia de adquirir este Escobar Fold 2, até porque estava com um apetecível preço de venda de 499 dólares, decerto terá ficado arrependido: ninguém recebeu o equipamento. Ou seja, estamos novamente perante um caso de burla.

O que aconteceu, neste caso, foi que a empresa escolheu a dedo alguns influenciadores e youtubers na esperança de que estes, ao falarem do produto (mesmo que de forma negativa), fizessem com que a Escobar Inc registasse um grande volume de encomendas para este equipamento. É a velha máxima de “bem ou mal, falem do produto. Mas falem.”

Seria bom que a história ficasse por aqui… mas não. A empresa voltou ao ataque, desta vez promovendo um iPhone 11 Pro “banhado a ouro”. E isto é falso, como podem ver pelo vídeo abaixo.

Segundo a Escobar Inc, a empresa comprou iPhones danificados, reparou-os e agora “vende” estes equipamentos como recondicionados, por 499 dólares cada. O problema é que a empresa não está a vender, mas sim a roubar, uma vez que nunca envia os smartphones.

E não, este iPhone não tem ouro. Tem é uma fina camada de metal que se faz passar por ouro e que se risca muito facilmente.

Na altura da publicação deste artigo, já somente estavam à “venda” 591 unidades de um total de 2.000. Honestamente, esperamos que ninguém tenha cometido o erro de voltar a comprar o que quer que seja à Escobar Inc.

Sigam-nos

10,854FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
632SeguidoresSeguir

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes