Empresa portuguesa NAN traz para Portugal novos aparelhos que ajudam a combater a transmissão da COVID-19

São equipamentos UV que esterilizam espaços e objectos passíveis de transmissão da Covid-19.

da COVID-19
- Publicidade -

A radiação ultravioleta está a revelar-se uma das formas mais eficazes na prevenção da Covid-19 e tem sido alvo de inúmeros testes científicos realizados em parcerias entre universidades e empresas, com resultados muitos animadores. A sua utilização tem sido cada vez mais recomendada pela comunidade científica, uma vez que desinfeta não apenas as plataformas físicas mas também o ar.

Há poucos dias, investigadores da Universidade de Boston validaram a ação das lâmpadas UV da empresa holandesa Signify no combate ao novo Coronavírus. A radiação UV consegue destruir o RNA do vírus, inativando-o em segundos. É justamente esta tecnologia que é aplicada nos parelhos Goldensea UV que a NAN traz agora para Portugal.

A tecnologia não é nova mas tem sido utilizada, quase exclusivamente, na esterilização de blocos e instrumentos hospitalares. Equipamentos dispendiosos e produzidos para um mercado específico. Hoje, todos os setores procuram processos seguros e acessíveis para desinfetar espaços partilhados por milhares de pessoas.

A desinfeção por radiação ultravioleta está já a ser testada e implementada nas grandes cidades em todo o mundo. É o caso de Nova Iorque que iniciou um programa piloto de desinfeção do metro e dos autocarros por UV-C. A comunidade científica é unânime e aponta a tecnologia UV como um dos processos mais eficazes no combate aos vírus, em geral, tornando-se particularmente importante na luta contra o novo Coronavírus.

Numa altura em que os números da Covid-19 são cada vez mais preocupantes e novos vírus ameaçam o mundo com possíveis pandemias, a adoção de processos inovadores de higienização dos espaços públicos e partilhados é primordial. Em Portugal, os equipamentos Goldensea UV vão estar disponíveis a partir da segunda quinzena de julho.

- Publicidade -

Parceiros

Relacionados

Deve-se ou não vacinar os jovens entre os 12 e os 15 anos contra a COVID-19?

Na ótica da Direção-Geral de Saúde, só é recomendável que se vacinem os jovens se eles tiverem comorbilidades associadas, que possam conduzir a uma doença grave ou à morte.

Centro Colombo faz testes gratuitos à COVID-19

O processo está a ser coordenado pelos profissionais de saúde da Farmácia Colombo, que comunica todos os resultados às autoridades competentes.

DGS recomenda realização de testes à COVID-19 em casamentos com mais de 10 pessoas

No caso de eventos de natureza cultural ou desportiva, recomenda-se a testagem sempre que o número de participantes/espectadores seja superior a 1.000, em ambiente aberto, ou superior a 500, em ambiente fechado.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Já repararam nos novos talões do Lidl? São mais ecológicos

Agora é esperar que a concorrência faça o mesmo.

Burger King abre novo restaurante em Sesimbra

É o 12º spot da marca no distrito de Setúbal e o segundo em Sesimbra.