Crimes Submersos. RTP coproduz nova série que junta atores espanhóis e portugueses

- Publicidade -

É uma coprodução da RTP com a RTVE e as produtoras Coral Europa e Atlantia Media.

Amor, ambição, traição, um crime não resolvido e uma paisagem devastada pela seca. São estes os ingredientes de Crimes Submersos, uma nova série de ficção que junta no elenco atores espanhóis e portugueses. Protagonizado por Elena Rivera, Rodolfo Sancho e Miryam Gallego, do elenco fazem também parte Miguel Ángel Muñoz e Juan Gea e os atores portugueses Marco D´Almeida, Soraia Chaves, Margarida Marinho e Guilherme Filipe.

As gravações da série começam a 14 de junho e passam por diferentes cenários como Cáceres, Comunidade de Madrid, Lisboa e Cascais.

Eis a sinopse de Crimes Submersos: “Devido a um período de seca extrema que atingiu o sul da Península Ibérica, os níveis das albufeiras baixaram para níveis históricos. Algumas povoações que haviam sido inundadas há décadas, para dar lugar a barragens, voltaram a emergir das águas. É o caso da povoação Campomediano, que está agora a descoberto. Nas ruínas de uma das antigas casas são encontrados os esqueletos de dois homens. A inspetora da polícia Daniela Yanes assume o caso, o qual não deixa dúvidas de que é um crime que permaneceu oculto durante muitos anos.

A identificação dos dois corpos leva duas famílias separadas pela fronteira a um destino comum numa trama onde diferentes personagens se cruzam com consequências imprevisíveis.

Com realização de Joaquín Llamas e Oriol Ferrer, argumento de Arturo Ruiz e Daniel Corpas e consultoria/adaptação para Portugal de Sara Rodi, Crimes Submersos é uma coprodução da RTP com a RTVE e as produtoras Coral Europa e Atlantia Media. Ainda não tem data de estreia.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

- Publicidade -

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Gelatieiri. A nova gelateria de Vila Real de Santo António tem gelados bem cremosos

E faz-nos lembrar vagamente a La Romana, que fomos experimentar recentemente em Lisboa.

Chuva de reclamações tapa o Sol da Caparica. Afinal, o que se passou?

Mas as palavras de desagrado do público parecem não ter surtido qualquer efeito junto dos promotores.