Agora as crianças do 1º e 2º ciclo já podem aprender a programar

Já estão abertas as inscrições para o projeto Aprende a Programar, uma iniciativa da Academia de Código_Júnior, com o apoio da Direção-Geral de Educação (DGE) que oferece a 100.000 crianças do 1º ao 6º ano a possibilidade de aprenderem programação e abraçarem uma aventura digital que os vai levar de utilizadores a criadores.

- Publicidade -

As escolas interessadas em ter Ciências da Computação na sua oferta curricular devem candidatar-se até 7 de outubro. O projeto está desenhado para que qualquer professor possa ensinar a programar.

As escolas que se propuserem ao programa têm que estar equipadas com computadores e acesso à Internet (um computador pode servir para até dois alunos). Os professores terão formação online de 25 horas, acreditada pela Associação Nacional de Professores de Informática (ANPRI), para estarem preparados para acompanhar os estudantes neste desafio que os levará a familiarizar-se com o código. As inscrições são feitas aqui até dia 7 de outubro, sendo que, à data, já estão preenchidos mais de 45.000 lugares.

Este projeto é totalmente gratuito para os estabelecimentos de ensino públicos e privados de Portugal Continental à exceção da área metropolitana de Lisboa, Algarve e escolas dos Arquipélagos da Madeira e dos Açores, sendo que estas podem incentivar as Autarquias locais a aderirem.

Combater o insucesso escolar e preparar as crianças para a sociedade digital

A missão passa por preparar as crianças para uma sociedade digital, combater o insucesso escolar, desenvolver o pensamento computacional, raciocínio lógico e a capacidade de “problem solving” com a introdução às Ciências da Computação. O programa está dividido numa componente online com vídeos, jogos e exercícios de programação – através da plataforma Blanc – e outra offline com jogos interativos. Desta forma, as crianças passam de consumidoras de tecnologia para criadoras de tecnologia.

Ao todo, no ano letivo 2017/18, as crianças dos 6 aos 12 anos jogaram 208,442 níveis de jogos, foram criados 11,625 projetos de programação por blocos na plataforma Blanc e respondidos 8.116 quizzes sobre programação. “Chegámos a mais de 30.000 crianças, ajudando-as através da Programação, a desenvolver o raciocínio lógico e cognitivo e ao mesmo tempo promovendo a inclusão social na sala de aula através dos nossos conteúdos. Em muitos casos os resultados na disciplina de Matemática melhoraram substancialmente. Na sequência deste sucesso, este ano abrimos 100.000 vagas.”, aponta João Magalhães CEO da Academia de Código.

Em 2017, o programa foi o vencedor mundial dos World Summit on the Information Society (WSIS).


 

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Nova plataforma da Happy Code ensina aos miúdos a lógica de programação

Chama-se Sai da Caixa e apresenta-se como "uma alternativa para pais e filhos no período de quarentena". A plataforma tem uma série de atividades offline, é gratuita e acessível a todos, mesmo que não sejam alunos das escolas.

ID NO LIMITS 2020: Horários e programação por dia já desvendados

Já tínhamos o cartaz finalizado, pelo que só faltava a Live Experiences divulgar o alinhamento dividido por dias do ID NO LIMITS 2020. E ei-lo.

Começou hoje mais uma edição do Pixels Camp

Começou hoje, no Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa, mais uma maratona de programação e tecnologia. São esperados mais de...
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Shattered: Tale of the Forgotten King – Em terras de Reis

Um projeto ambicioso e muito arrojado que chega finalmente às consolas depois de uma estreia no PC.

Microfone Fifine K658 – O go-to se queres começar no mundo do streaming ou podcasts

É o microfone que precisas para fazer o teu podcast andar para a frente, até porque de lado não capta bem o áudio.