9,4% do total de compras é feito online pelos portugueses

- Publicidade -

É o que diz o mais recente estudo do DPDgroup sobre as tendências comportamentais do comércio online na Europa. Em Portugal, sabe-se que 9,4% do total de compras é feito online e que os artigos mais comprados pelos portugueses fazem parte das áreas da moda e eletrónica.

O relatório revela ainda os comportamentos e expectativas mais recentes dos e-shoppers, como preocupações sobre segurança de pagamentos ou protecção de dados, a necessidade de um processo simples de devoluções, e o claro desejo de conhecer a empresa de entregas no momento da compra.

  • Os novos compradores são exigentes. 15% dos e-shoppers começaram a comprar online há menos de dois anos. Têm uma forte atividade nas redes sociais, apreciam programas de fidelização, são propensos a devolver as suas encomendas e têm preocupações acerca da segurança de pagamentos e de dados pessoais.
  • Abandono do carrinho de compras e devoluções são inerentes aos comportamentos do e-shopping. Enquanto 90% dos e-shoppers interromperam a sua encomenda, 41% regressaram ao carrinho de compras para concluir a transacção. Da mesma forma, as devoluções duplicaram no último ano de 5% para 10%.
  • O Cross-border está a desenvolver-se. Cerca de 58% dos e-shoppers compraram bens em sites estrangeiros. Entre os compradores cross-border, uma em cinco compras online é realizada num site estrangeiro. Habitualmente, os e-shoppers compram em países vizinhos ou websites chineses, em marcas ou negócios inexistentes localmente.
  • O M-commerce continua a crescer. 46% dos e-shoppers utilizam um smartphone para comprar online. Os smartphones são cada vez mais usados para efectuar compras online, especialmente entre os compradores frequentes e os millennials, que estão também mais activos que nunca nas redes sociais.
  • Quando se compra online, a empresa de entregas é da maior importância. 72% dos e-shoppers consideram importante saber no momento da compra qual é a empresa de entregas. Este desejo prende-se quer com uma previa experiência positiva ou negativa, quer por este conhecimento ser tranquilizador. Dar aos clientes a possibilidade de escolher a empresa de entregas pode facilitar a decisão de comprar e criar satisfação.
- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome