Porto. Cinema Batalha está a ser requalificado e reabre no início de 2022

Guilherme Blanc será o diretor artístico do novo projeto municipal.

Cinema Batalha
Foto: Luis Lima/Câmara Municipal do Porto
- Publicidade -

A requalificação começou por ser anunciada em 2018, sendo que a obra está em curso há mais de dois anos. Falamos, naturalmente, da requalificação do Cinema Batalha, no Porto, cujas obras, a cargo da empresa municipal GO Porto, estarão concluídas ainda este ano.

Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto, revelou que a nova instituição pública, centrada na divulgação de correntes cinematográficas, cultura fílmica e investigação em cinema, abrirá no início de 2022, em fevereiro, enquanto Batalha Centro de Cinema, equipamento onde se pretende criar uma “relação expandida e crítica com os seus mais diversos públicos e agentes, permitindo que a cidade veja nascer uma instituição aberta, participada, estimulante e também divertida”.

Guilherme Blanc, nomeado para diretor artístico do novo projeto municipal, refere que o Batalha Centro de Cinema “não pretende ter a missão exclusiva de programar cinema histórico, ou dedicar-se a estreias de filmes que entram no circuito comercial, mas antes propor uma programação que estimule o conhecimento e fruição cultural através das múltiplas formas de fazer e pensar o cinema”.

A missão estratégica do Batalha, continuou o responsável, “será dar a conhecer obras e práticas fílmicas relevantes no cinema, introduzir debates e discursos contemporâneos através das múltiplas possibilidades estéticas e formais do cinema e da imagem em movimento”, além de disseminar obras sem canais de difusão em Portugal e estabelecer parcerias com os agentes programadores da cidade.

A estrutura programática, avançou ainda o diretor artístico, contemplará a apresentação de monografias e ciclos retrospetivos de obras e práticas de cinema individuais, e também de movimentos; ciclos discursivos/temáticos, “através dos quais iremos debater assuntos políticos, culturais e filosóficos”; focos sobre cineastas e artistas contemporâneos, nacionais e internacionais. Além da proximidade à comunidade, o Batalha Centro de Cinema também apostará em programas anuais de continuidade, acolhimentos e parcerias, sessões especiais, entre outras disciplinas.

O Batalha pretende ainda dar apoio à investigação no domínio da História do Cinema e do pensamento crítico sobre imagem em movimento, e promover ações de cruzamento disciplinar com outras artes, nomeadamente as visuais, através de projetos expositivos e performance.

Para além das suas duas salas de projeção preparadas para exibição de formatos digitais e analógicos – a Sala Grande com 341 lugares e a Sala Estúdio com 126 lugares –, o Batalha Centro de Cinema integrará um espaço de galeria de 65m2 dedicado às artes visuais, uma biblioteca especializada em cinema, que pretende ser “um epicentro” daquilo que é o acervo documental sobre a sétima arte, e ainda uma mediateca dedicada ao património fílmico da cidade do Porto, com um arquivo digital que será trabalhado ao longo dos anos.

O espaço renovado incluirá ainda um bar, resultante da recuperação do antigo salão de chá e café – onde nos anos 70 foi construída a Sala Bebé – e que estará equipado para exibições e performances.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Domino’s Pizza abriu uma nova loja no Porto

Desta vez na zona das Antas.

Há um novo restaurante McDonald’s na Ribeira do Porto

É a segunda abertura de um restaurante da marca em 2021.

FlixBus inaugura nova rota que liga o Porto a Madrid

Os preços começam nos 19,99€ e variam em função da data da reserva.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Época balnear 2021. Eis as regras definidas pelo Governo

Comer bolas de Berlim? Sim. Mas jogar raquetes não é permitido.

Museu da Lourinhã ganha versão digital com a ajuda da Vodafone

O Museu Digital da Lourinhã dispõe, a partir de hoje, de um conjunto de soluções de Realidade Virtual.

Santuário do Cabo Espichel transforma-se em projeto com vocação turística

O imóvel está classificado de interesse público desde 1950, beneficiando, ainda, de uma Zona Especial de Proteção.