Cinema ao ar livre está de volta aos rooftops de Lisboa e Cascais

Lembram-se do Cine Society, iniciativa de cinema ao ar livre num rooftop, com comida e bebida, e o pôr-do-sol a acompanhar? Pois bem, está de volta aos rooftops de Lisboa e Cascais com muitos e bons filmes.

- Publicidade -

A sessão inaugural aconteceu no passado domingo, dia 12 de maio, no TOPO Chiado, em Lisboa, com o filme Bohemian Rhapsody, que deu o Óscar de Melhor Ator a Rami Malek. Este filme, porém, pode voltar a ser visionado no dia 21 de maio, desta vez no rooftop do Hotel Baía, em Cascais. Serão nestes dois locais que irão decorrer as várias sessões do Cine Society.

Há filmes para todos os gostos, passando por películas recentes aclamadas pela crítica, como The Grand Budapest Hotel, Isle of Dogs ou La La Land, mas também por verdadeiros clássicos, como Eternal Sunshine of the Spotless Mind, Pulp Fuction e Romeo + Juliet (1996), entre tantos outros.



Para já, foi divulgada a programação para maio e junho, mas sabe-se que esta nova temporada só irá encerrar em outubro. Em Lisboa, as sessões acontecem todas as quartas e quintas-feiras, do pôr-do-sol à meia-noite. Já em Cascais existirá a exibição de um filme clássico por semana, todas as terças, entre maio e outubro. As sessões começam todas às 21h.

Em cada sessão, os espectadores (chamemos-lhe assim) terão direito a uns auscultadores wireless para que se possam isolar do ruído geral, espreguiçadeiras e pipocas. Já as bebidas são à parte.

O Cine Society começou por ser uma brincadeira de amigos, mas, hoje em dia, é o mais promissor programa cultural de lazer da grande Lisboa. Aliás, as edições anteriores foram um sucesso, com várias sessões esgotadas.

Os bilhetes para cada sessão custam 12€ e podem ser adquiridos no site oficial.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Sabiam que nem todos os filmes podem ser vistos com recurso às gravações das boxes?

Nestes casos, é algo que se deve às exigências das distribuidoras ou dos próprios estúdios.

Crítica – King Richard

King Richard não é apenas um dos meus filmes favoritos do ano, mas também uma das melhores biopics que já testemunhei.

The Matrix Resurrections – Crítica

The Matrix Resurrections é uma das maiores desilusões pessoais do ano. Lana Wachowski oferece um filme surpreendentemente meta e autoconsciente sobre a trilogia original repleta com ideias ousadas e fascinantes, mas com uma execução absolutamente terrível.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

City Center Covilhã terá 14 lojas e abre até junho de 2023

Um complexo comercial com três pisos e situado no principal eixo rodoviário da Covilhã.

Jardim Sonoro 2022 acontece uma semana após o previsto

Desta forma, os festivaleiros já não têm de decidir se vão a este festival ou se ao Kalorama.