Chutnify – Uma verdadeira viagem à Índia

- Publicidade - trk
- Publicidade -

Fez em setembro deste ano um ano desde que abriu no Príncipe Real, em Lisboa, mas a verdade é que, em tão pouco tempo, o Chutnify conseguiu conquistar muitos clientes e ser um dos restaurantes com melhor pontuação no Zomato.

É um moderno restaurante indiano que se foca em criar verdadeiras experiências gastronómicas. O objetivo dos responsáveis do espaço foi mesmo esse: elaborar um espaço vibrante e criativo onde os clientes pudessem desfrutar da autêntica comida indiana.

Pode-se dizer que é dos poucos locais lisboetas que nos fazem viajar até ao sul da Índia. Fomos experimentar alguns dos pratos no passado mês de outubro e podemos dizer que ficámos encantados.

O espaço, em si, não é muito grande – algo apertado quando tem muita gente – mas é giro, bem decorado e acolhedor, com pinturas orientais nas paredes, bem ao estilo de Bollywood. Bem sabemos que esta zona de Lisboa é cara, mas percebe-se: cria-se ali outro ambiente, onde a experiência é para ser feita a dois. É quase como se nos sentíssemos em casa.

Chutnify espaço

Assim que chegamos ao Chutnify, somos logo recebidos com toda a simpatia e encaminhados para uma mesa à nossa medida. Quando nos abordam e começam a recomendar alguns pratos da carta, percebemos que o ambiente do espaço é descontraído, sem descorar, porém, o profissionalismo. Um atendimento extremamente simpático que nos deixa totalmente à vontade. E é assim que se ganham os primeiros pontos na árdua tarefa de conquistar clientes e de lhes proporcionarem uma boa experiência.

Mas para que tudo corra bem num restaurante, nada como conquistar através dos pratos confecionados. Então pedimos sugestões ao gerente do espaço, mais entendido na matéria, para que nos orientasse da melhor forma.

E assim foi.

Começámos com um Crispy Soft Shell Crab, que é, como quem diz, Caranguejo de casca mole cozinhado em especiarias indianas. No fundo, é caranguejo amolecido. Somos sinceros, este é um prato que pode (e deve) ser pedido por quem gosta de caranguejo, uma vez que é uma forma diferente de se experimentar este alimento. E é obrigatório meter limão por cima.

Seguidamente atacámos a Papdi Chaat, uma Hóstia crocante com grão e romã regada com molho de iogurte, hortelã e tamarindo. É uma verdadeira explosão de sabores, onde todos os ingredientes funcionam harmoniosamente entre si. Só por aqui já perceberam que esta opção,  juntamente com muitas outras, é apta para vegetarianos. E quase todos os pratos esta isentos de glúten.

Ainda com o estômago a pedir mais comida, chega-nos uma Paneer Tikka, uma Espetada de queijo paneer no forno tandoor, que só de olhar faz-nos crescer água na boca (e o sabor não desiludiu), uns Lamb Chops, mais conhecidos como Costeletinhas de borrego matinadas durante a noite e assadas no forno tandoor – mesmo quem não aprecia o sabor intenso do borrego vai gostar desta opção – e, para finalizar com mestria a refeição, uma das especialidades da casa, um magnífico Duck Dosa, ou, para quem conhece, um Crepe salgado feito de lentilhas e arroz, recheado com pato, acompanhado de chutney de coco e de tomate. Mas este não é crepe qualquer.

O crepe é elaborado em forma de pirâmide. E como é que isto se come? Ora, muito simples. O objetivo é ir partindo o crepe, muito fino e crocante, aos poucos, agarrar um bocadinho com os dedos e utilizar esse pedaço como colher para devorar o pato que está no fundo do crepe, como se estivéssemos a comer nachos. É muito simples e extremamente saboroso. Uma

A acompanhar o nosso jantar tivemos sempre cocktails de autor, verdadeiramente fabulosos.

Mas uma refeição não se termina efetivamente sem sobremesa, por isso lá veio um dos ex-libris da casa: Pistachio Kulfi, que é, basicamente, Gelado indiano de pistáchio – um pouco mais sólido que o normal – com fruta da época. Uma delícia para fanáticos por pistachio, e não só, vão amar esta gulosice bem cremosa. A acompanhar tivemos ainda o Sago Paysam, um pudim de tapioca, caju, pistachio e manga fresca. Não é muito habitual as sobremesas indianas ficarem na memória, mas estas vão certamente surpreender-vos.

O Chutnify não é o típico restaurante indiano que conhecem. É muito mais que isso. Os paladares levam-vos a viajar e a querer marcar uma viagem à Índia só para conhecerem mais pratos orientais. E é claramente um restaurante indicado para a partilha.

Se ainda não conhecem, esta tem de ser uma paragem obrigatória para todos vós em Lisboa. E com um bónus: tem Zomato Gold.

O Chutnify fica localizado na Travessa da Palmeira nº46, no Príncipe Real, e está aberto todos os dias, ao almoço, a partir das 12h. Depois, de segunda a quarta está aberto das 18h30 às 23h, de quinta a sexta das 18h30 às 00h, ao sábado das 13h às 16h e das 19h às 00h e ao domingo das 13h às 16h e das 19h às 23h. As reservas podem ser feitas através da página do Zomato ou ligando para o 213 461 534.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

- Publicidade -

Relacionados

É obrigatório pagar gorjetas nos restaurantes? Em alguns casos, sim

Por lei, a gratificação de serviços não é obrigatória. Mas é preciso ter atenção.

Urbano, trendy e contemporâneo. Assim é o Slang

Novo restaurante é a mais recente aposta do grupo Coma.

Oriente. O novo restaurante buffet de Odivelas tem comida asiática e portuguesa por menos de 10€

Durante a semana e ao almoço, claro. No período do jantar e aos fins de semana, o preço sobe até um máximo de 12,95€.

Partilha. Ex-concorrentes de Hell’s Kitchen abriram restaurante em Braga

O espaço foi inaugurado em outubro do ano passado e funciona de terça a sábado.
- Publicidade -
- Publicidade - trk
- Publicidade -

Mais Recentes

Linha do Oeste vai ser finalmente modernizada

A capacitação da Linha do Oeste, até Caldas da Rainha, possibilitará a redução do tempo de viagem entre Caldas da Rainha – Lisboa e Torres Vedras – Lisboa em cerca de 30 minutos.

Stormzy fora do NOS Alive 2022. Horários já estão disponíveis

Está naquela altura de fazer escolhas.

Governo vai avançar com aeroportos no Montijo e em Alcochete. O de Lisboa é para fechar

O do Montijo, que será complementar, deverá estar pronto em 2026. Já o de Alcochete, que substituirá o de Lisboa, estima-se que entre em funcionamento em 2035.