Chronopost vai entregar encomendas em Lisboa em bicicletas elétricas

Depois de Toulouse e Nuremberga, Lisboa foi a próxima cidade a receber as Cargo Bike, bicicletas elétricas que a Chronopost utiliza para entregar encomendas no centro das cidades. Este projeto-piloto, que envolve a utilização de bicicletas elétricas como meio de transporte, vai permitir desenvolver uma nova abordagem sustentável na forma como as encomendas são entregues no mercado nacional.

- Publicidade -

A Chronopost explica que o projeto-piloto, inserido na área da mobilidade urbana sustentável, arrancou em Fevereiro, na zona do Parque das Nações em Lisboa, com duas bicicletas elétricas. Durante os primeiros dez dias, as bicicletas elétricas distribuíram encomendas apenas no período da manhã, tendo sido entregues 187 volumes em 142 visitas. A caixa de transporte da bicicleta tem capacidade para 0,25 m3, mas o número de encomendas que pode levar depende sempre do volume das caixas.

O projeto, que se insere no âmbito do programa DrivingChange do DPDgroup, vai continuar em fase experimental, de forma a apurar mais alguns dados relevantes para a atividade da Chronopost. No entanto, o objetivo é alargar esta solução de mobilidade a outras cidades portuguesas. De acordo com estudos realizados pelo DPDgroup, a utilização destes veículos significa uma real redução de CO2 por ano, bem como um aumento na eficiência da distribuição de correio expresso nas grandes cidades, onde o trânsito é caótico e os estacionamentos inacessíveis aos locais de entrega.

Demonstrando uma gestão focada na sustentabilidade e uma preocupação com o meio ambiente, o DPDgroup lançou os primeiros projetos que envolviam bicicletas em 2016 e 2017. Em Toulouse (França), a Chronopost estabeleceu uma parceria com a Alternmobil, uma empresa especialista em mobilidade elétrica que garante uma entrega eficiente no quilómetro final, para realizar as entregas no centro da cidade com bicicletas ou pequenos carros elétricos. Também na Eslovénia o DPDgroup adquiriu um novo tipo de veículos – a DPD Bike – para entregar encomendas no centro da cidade de Lujbljana.

Mais recentemente, o DPDgroup escolheu a cidade de Nuremberga para testar a utilização de três bicicletas de transporte eletricamente assistidas em diferentes áreas residenciais do centro da cidade. Neste caso em concreto, o projeto-piloto está sob a supervisão científica da Universidade Técnica de Nuremberga. Cada bicicleta de transporte pode substituir totalmente um veículo comercial de entrega convencional, tendo a caixa de transporte da bicicleta uma capacidade de 0,25 m³. Até ao momento, o DPDgroup já entregou mais de 80 mil encomendas em bicicletas elétricas. A empresa assume que, graças ao uso de cinco e-bikes, foi possível substituir quase a mesma quantidade de veículos de entrega tradicionais.


 

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Torres Novas vai ter um sistema de bicicletas de uso partilhado

Mas ainda deve faltar algum tempo até que estes veículos fiquem disponíveis.

CTT testam nova bicicleta para uma possível distribuição de correio

Atualmente, a frota de bicicletas elétricas dos CTT conta com 136 unidades ativas nas operações de distribuição.

Querem aprender a fazer embalagens amigas do ambiente? A Sociedade Ponto Verde ensina

A plataforma digital da SPV reúne um conjunto de dicas e recomendações de ecodesign e otimização dos processos de estudo, desenvolvimento e produção de embalagens e agrega-as em “pack4recycling”.

Depois das trotinetes, Hive aposta nas bicicletas elétricas

Este é um projeto-piloto, pelo que Lisboa é a primeira cidade a nível mundial a receber estas bicicletas elétricas, e acaba por ser uma forma de celebrar o primeiro ano de existência da marca em Portugal.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Interface de Transportes de Setúbal entra em funcionamento em novembro

Já a Alsa Todi irá substituir a TST - Transportes Sul do Tejo com novos autocarros em 2022.

Já repararam nos novos talões do Lidl? São mais ecológicos

Agora é esperar que a concorrência faça o mesmo.