Preparem-se: a Carris Metropolitana está quase a chegar à margem norte no Tejo

- Publicidade -

Ano novo, novo paradigma de mobilidade rodoviária na área metropolitana de Lisboa (AML).

Ao fim de largos meses de trabalho para a implementação das condições de logística e de recursos humanos necessários ao alargamento da operação da Carris Metropolitana aos municípios da margem norte do Tejo, os autocarros amarelos passam a operar os serviços da Carris Metropolitana nos concelhos de Amadora, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Odivelas, Oeiras, Sintra e Vila Franca de Xira no primeiro dia de janeiro de 2023.

Pela primeira vez, num esforço que só se considerará satisfeito quando o transporte público for a principal opção para assegurar a mobilidade na área geográfica mais movimentada do país, a Carris Metropolitana funde, simplifica e uniformiza, a operação rodoviária nos cerca de 3 mil km2 dos 18 concelhos da AML, contanto, para já, com mais de 20 mil horários/circulações num dia útil (mais 20% do que os horários do serviço anterior à Carris Metropolitana), que representam 30% de aumento no número de quilómetros em operação, mais de 700 linhas (das quais 13% são linhas novas), aproximadamente 12 mil paragens de autocarro, executados por 1575 viaturas das quais cerca de 70% novas (uma idade média da frota inferior a um ano), correspondente a aproximadamente 250 milhões de euros de investimento em frota, e conduzida por um total aproximado de 3.000 motoristas.

A operação da Carris Metropolitana garante o acompanhamento e fiscalização do cumprimento dos níveis de serviço definidos em contrato que será prestado pelas empresas que venceram o concurso público internacional para cada uma das áreas de operação, duas na margem norte do Tejo (Viação Alvorada e Rodoviária de Lisboa, que agora se iniciam) e duas na margem sul do Tejo (TST – Transportes do Sul do Tejo e ALSA Todi).

A implementação da nova operação contratualmente definida, com uma marca e imagem única, Carris Metropolitana, é o maior projeto deste género no país e apresenta-se com um elevado grau de complexidade operacional, logístico e tecnológico.

A migração de serviços a partir do próximo dia 1 de janeiro trará alterações, que por mais pequenas que sejam, causarão impactos nos hábitos quotidianos dos utilizadores, estando definidos os mecanismos de acompanhamento que garantem a gradual correção dos aspetos operacionais e a correta informação ao público, particularmente, através dos Espaços navegante Carris Metropolitana existentes em cada concelho, do site e da linha de apoio 210418800.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes