BONS SONS 2018 teve um impacto de 4 milhões de euros na região de Tomar

Todos os anos, o BONS SONS desenvolve um estudo de análise do público que visita o festival. Em 2018, mais de 85% dos inquiridos declararam dedicar todos os dias parte do seu tempo livre para ouvir música e cerca de 99% declarou a intenção de regressar ao festival, ou seja, como ponto comum há o gosto pela música e o BONS SONS como ponto de encontro.

- Publicidade -

Neste festival, cujo público é muito diversificado, passaram cerca de 38.500 pessoas acolhidos por uma equipa alargada de 430 pessoas, 52 espetáculos de música e dezenas de atividades paralelas no perímetro da aldeia de Cem Soldos.

O festival atraiu pessoas de norte a sul do país e além-fronteiras, havendo visitantes de mais de 88 concelhos nacionais de seis países (Alemanha, Dinamarca, Espanha, França, Reino Unido e Brasil). Sem surpresas, é a Região Centro que se destaca como a região mais expressiva em termos de visitantes.

No que toca à faixa etária, registou-se a presença de visitantes com idades compreendidas entre os 6 e os 71 anos de idade.

Há também dados de que o BONS SONS é vivido em grupo e em comunidade. Tendencialmente, os visitantes chegaram em grupos de cinco ou mais pessoas, sendo também frequente a vivência em grupos mais pequenos ou a pares.

O festival conseguiu ainda gerar cerca de 1000 notícias, dados da Cision, chegando a aproximadamente um quarto da população portuguesa. Estima-se que o impacto mediático tenha rondado os 2,4 milhões de euros.

Contudo, o valor em termos de benefícios económicos e sociais na região (concelho de Tomar) ronda os 4 milhões de euros, num valor que resulta da dinâmica gerada com base na atração de visitantes ao concelho.

Estima-se, por exemplo, que os montantes relacionados com as despesas de alojamento, assumidas por 38% dos visitantes, repercutiram-se em receitas de cerca de quase 200 mil euros para o setor hoteleiro da região. Por outro lado, verificou-se uma média de 132,85€ de gastos na economia local por cada visitante não residente no concelho.

Para a edição do próximo ano, que se realiza de 8 a 11 de agosto de 2019, apensar de ainda não existiram nomes, já se pode comprar o passe geral até final deste ano por apenas 30€, no que poderá ser uma ótima prenda de natal. Depois, no próximo ano, o passe irá subir de preço ao longo do tempo até se fixar nos 50€.

Já os bilhetes diários estarão à venda em abril por 22€, mantendo-se esse preço até final de julho, e fixando-se nos 25€ no mês de agosto.


 

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Super Bock em Stock (Dia 1) – Tuk Tuks para Autóctones

Um regresso aos festivais, neste caso a um itinerante.

Porto recebe aquele que será o mais curioso festival dedicado à cerveja artesanal

E há workshops gratuitos mediante reserva antecipada.

Festival Under The Doom adiado para 2022

O evento irá acontecer no novo LAV - Lisboa ao Vivo.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Palácio Nacional de Mafra vai ser reabilitado

As obras deverão estar concluídas no final de 2025.

Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto vão contar com mais 145 autocarros elétricos ou movidos a hidrogénio

Uma medida que se insere no âmbito da Componente 15 – Mobilidade Sustentável, do Programa de Recuperação e Resiliência de Portugal.

Inaugurado primeiro Espaço Cidadão numa unidade de saúde

Algo que vem facilitar ainda mais a vida aos cidadãos.