Bicicletas elétricas partilhadas da Bolt ficam em Setúbal pelo menos por mais seis meses

- Publicidade -

Até porque o objetivo é atribuir licenças aos operadores destes veículos, de modo a que possam permanecer na cidade durante cinco anos.

Foi em junho de 2022 que a cidade de Setúbal, já depois do sucesso registado com as trotinetes, disponibilizou aos munícipes as bicicletas elétricas partilhadas da Bolt. Sendo um projeto-piloto, o memorando de entendimento entre a autarquia e a empresa de micromobilidade previa um período experimental de seis meses, ou seja, terminando no final do ano passado.

Porém, esse período foi agora estendido por mais seis meses, o que significa que as bicicletas irão circular pela cidade de Setúbal pelo menos até junho de 2023.

De acordo com a autarquia, o início do projeto coincidiu com o arranque da operação do novo serviço da Carris Metropolitana, em junho do ano passado, o qual se deparou com “dificuldades no cumprimento de horários e supressão de carreiras”, razão pela qual não foi possível aferir de forma válida as transferências modais entre os utilizadores de transportes públicos e os utilizadores do serviço das bicicletas partilhadas.

O nível de aceitação e uso deste tipo de solução de mobilidade nas deslocações de curta distância por parte da população, entre 3 de junho e 29 de novembro, demonstra que foi percorrida mensalmente uma média de 7657 quilómetros pela solução de partilha de bicicletas elétricas na cidade, com um total médio de 131 viagens diárias, segundo dados divulgados pela Câmara Municipal de Setúbal.

A autarquia entende que este serviço constitui uma importante medida de mobilidade na cidade e que será interessante avaliar uma amostragem maior que contemple também o período fora da época estival, abrangendo ainda dados com uma rede de transportes públicos rodoviários mais eficaz e com maior rigor no cumprimento de horários.

Há outra novidade: é que, embora este projeto-piloto tenha sido estendido por mais seis meses, o município está a preparar um concurso para a atribuição de uma licença de operação deste tipo de equipamentos no concelho pelo período de cinco anos. Ou seja, tanto trotinetes, como bicicletas, vieram para ficar. Resta saber se, em breve, outros operadores irão disponibilizar os seus veículos na cidade sadina.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes